Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan diz que Turquia continuará operação na Síria, pactuada com Moscou

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda-feira que seu país não interromperá sua operação militar lançada no sábado contra as milícias curdas aliadas dos Estados Unidos no norte da Síria e insistiu que esta operação está pactuada com a Rússia.
EFE

"Não vamos retroceder em Afrin. Falamos com os russos e há consenso", disse o político islamita em relação à região do norte da Síria nas mãos das milícias curdas Unidades de Proteção do Povo (YPG), que Ancara considera terroristas e aliadas da guerrilha curda da Turquia, o PKK.


Erdogan voltou a acusar os EUA de armar e apoiar as YPG, aliadas de Washington contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

"Não são honestos conosco. Continuaremos o nosso caminho no marco das conversações que mantemos com a Rússia", apontou.

"Queríamos comprar armas (com os EUA). Não nos deram e entregaram as mesmas armas a organizações terroristas. Que tipo de aliança estratégica é essa?", afirmou o presidente da T…

Israel responde ao foguete lançado da Faixa de Gaza com ataque a postos palestinos

O exército israelense atacou duas instalações militares na Faixa de Gaza em resposta ao disparo de projéteis do território palestino. A informação foi divulgada pelo serviço de imprensa do exército israelense.


Sputnik

Anteriormente, foi informado que um foguete foi lançado contra o território israelense, mais não alcançaram Israel e caíram dentro do enclave palestino.


Caça israelita F-16
Caças F-16 da Força Aérea de Israel © AFP 2017/ JACK GUEZ

"Pouco tempo antes, dois projéteis foram disparados do norte de Gaza e explodiram ao sul de Israel. Em resposta a esses projéteis disparados contra Israel durante o dia, um tanque e uma aeronave das Forças de Defesa de Israel atacaram dois postos de terror em Gaza", escreveu o serviço de imprensa da Forças de Defesa de Israel em seu blog oficial do Twitter.

As tensões no Oriente Médio se elevaram após o anúncio do presidente dos EUA, Donald Trump, na quarta-feira, sobre o reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel, causando uma serie de intensas manifestações do lado palestino.


Postar um comentário