Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil simula resgate de civis em área de conflito ou desastre natural (VÍDEO)

A Marinha do Brasil realizou entre os dias 6 e 14 de novembro a Operação Atlântico, na praia de Itaoca, no Espírito Santo. A simulação deste ano treinou os oficiais para casos em que houvesse resgate de civis em uma área de conflito armado ou que foram alvos de desastres naturais.
Sputnik

Era por volta de 5h40 do dia 10 de novembro, um sábado, ainda estava amanhecendo, quando o Almirante Paulo Martinho Zucaro, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, olhou e disse para a reportagem da Sputnik Brasil: "É guerra".


A declaração foi dada para explicar os motivos de se realizar um treinamento deste porte mesmo em condições extremamente desfavoráveis. A chuva era forte, as ondas na beira da praia atingiam 1,5 metros e os ventos chegaram a 20 km/h. O nível de dificuldade preocupava o alto comando, mas não foi um problema para os fuzileiros e marinheiros.

Antes do amanhecer, sete Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) chegaram à praia e deram início ao desembarque. Após eles chegarem foi…

Mais de 10.000 pessoas protestam na Jordânia contra decisão de Trump

Dezenas de milhares de pessoas se manifestaram nesta sexta-feira em toda Jordânia em protesto pela decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como capital de Israel e transferir sua embaixada para essa cidade, informaram à Agência Efe ativistas jordanianos.


EFE

Mais de 10.000 cidadãos participaram da manifestação em frente à Grande Mesquita de Hosseini, no centro de Amã, na qual gritaram palavras de ordem e levantaram cartazes nas quais consideravam os EUA como "parte da agressão sionista na Palestina", segundo constatou a Efe.


EFE/EPA/Mast Irham
EFE/EPA/Mast Irham

"Chega de bases americanas em solo jordaniano", afirmava um dos cartazes.

Além disso, centenas de jordanianos também continuaram se manifestando em frente à embaixada dos Estados Unidos em Amã, que devido aos protestos suspendeu seu serviço até novo aviso.

Os manifestantes também pediram a abolição do tratado de paz de 1994 com Israel e o acordo no valor de US$ 10 bilhões para importar gás de Israel.

A Jordânia assinou um tratado de paz com Israel em 1994 pelo qual é o país guardião dos lugares santos muçulmanos e cristãos de Jerusalém Oriental, território que estava sob soberania jordaniana quando Israel o ocupou na Guerra dos Seis Dias de 1967.

Os líderes religiosos jordanianos reivindicaram na oração de sexta-feira - dia sagrado para os muçulmanos - a necessidade de escorar as capacidades militares, econômicas e políticas das nações árabes e islâmicas como a "única forma de libertar Jerusalém" da entidade sionista" respaldada pelos Estados Unidos.

Outras manifestações também aconteceram em vários campos de refugiados palestinos e em outras cidades jordanianas como Karak, Zarqa, Irbid e Salt, segundo informaram os ativistas.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas