Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan diz que Turquia continuará operação na Síria, pactuada com Moscou

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda-feira que seu país não interromperá sua operação militar lançada no sábado contra as milícias curdas aliadas dos Estados Unidos no norte da Síria e insistiu que esta operação está pactuada com a Rússia.
EFE

"Não vamos retroceder em Afrin. Falamos com os russos e há consenso", disse o político islamita em relação à região do norte da Síria nas mãos das milícias curdas Unidades de Proteção do Povo (YPG), que Ancara considera terroristas e aliadas da guerrilha curda da Turquia, o PKK.


Erdogan voltou a acusar os EUA de armar e apoiar as YPG, aliadas de Washington contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

"Não são honestos conosco. Continuaremos o nosso caminho no marco das conversações que mantemos com a Rússia", apontou.

"Queríamos comprar armas (com os EUA). Não nos deram e entregaram as mesmas armas a organizações terroristas. Que tipo de aliança estratégica é essa?", afirmou o presidente da T…

Ministro israelense ameaça devolver Líbano à 'Idade da Pedra'

Em entrevista ao portal saudita Elaph, o ministro da Inteligência de Israel, Yisrael Katz, avisou que seu país não hesitará em atacar o Líbano para deter a atividade do grupo xiita libanês Hezbollah, e ameaçou devolver o Líbano à "Idade da Pedra", informou o jornal israelense Haaretz.


Sputnik

Além disso, Katz anunciou que Israel atacará instalações militares do Irã no Líbano: "Temos informações de que o Irã está construindo fábricas de mísseis avançados no Líbano e quero enfatizar que traçamos uma linha vermelha e que não deixaremos que o faça custe o que custar", acrescentou.


Soldados israelenses
Tropas israelenses © East News/ UPI Photo / eyevine

Lembrando-se da Segunda Guerra do Líbano em 2006, onde Israel lutou contra o Hezbollah, Katz destacou que os eventos de 11 anos atrás serão um "piquenique" em comparação com o que Israel pode fazer agora.

"Lembro-me de como um ministro saudita disse que devolveria o Hezbollah às suas cavernas no sul do Líbano. Devolveremos o Líbano à Idade da Pedra", declarou o ministro israelense.

Katz, que se referiu na entrevista à Arábia Saudita como líder do mundo árabe, propôs que Riad desempenhe um papel mais importante no processo de paz entre israelenses e palestinos, como patrocinador dos últimos. "[Os palestinos] são muito fracos, eles precisam de alguém para ajudá-los", sugeriu Katz.

"Os norte-americanos estão preparando uma iniciativa, mas não nos explicaram que está incluído. Dizem que será somente uma opção e não uma imposição. Creio que é uma oportunidade", afirmou o ministro.

Além disso, de acordo com o Haaretz, Katz convidou o príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salmán, para visitar Israel. Atualmente, Israel e a Arábia Saudita não mantêm relações diplomáticas oficiais.

Israel e Palestina estão enfrentando uma nova onda de tensões devido ao reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel pelo presidente dos EUA, Donald Trump. Ele assinou um documento autorizando a transferência da Embaixada dos EUA de Tel Aviv para Jerusalém.


Postar um comentário