Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Vídeo mostra momento do encontro do submarino argentino Ara San Juan

Profissionais que operavam um dos veículos submarinos foram os primeiros a ver em tela as imagens da embarcação, que estava desaparecida desde 15 de novembro do ano passado. Submarino foi localizado a 907 metros de profundidade.
Por G1

Um vídeo divulgado neste domingo (18) mostra as primeiras imagens do submarino Ara San Juan, no momento em que profissionais da empresa Ocean Infinity o localizaram. O encontro foi anunciado pela Marinha da Argentina na madrugada de sábado.


No vídeo é possível ver quando a equipe que opera um dos veículos que fazia as buscas vê a embarcação pela primeira vez em uma região de cânions (espécie de rios submarinos), a 907 metros de profundidade, e a 600 km da cidade de Comodoro Rivadavia.

O Ara San Juan desapareceu em 15 de novembro de 2017, com 44 pessoas a bordo, e sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma á…

Moscou: Ocidente pode se gabar de 'vitórias' no Afeganistão, Iraque e Líbia, não na Síria

Parceiros ocidentais da Rússia devem se lembrar de suas "vitórias" no Iraque, Líbia e Afeganistão ao invés de tentar "roubar" êxitos de Moscou na Síria, acredita a representante oficial do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova.


Sputnik

Foi assim que a diplomata comentou as palavras do ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, em relação à Rússia ter "se apropriado" da vitória sobre o Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países).


Dia-a-dia na Base Aérea da Rússia na Síria (foto de arquivo)
Sukhoi Su-25 e munição na base militar russa na Síria © Foto: Ministério da Defesa da Rùssia

"Senhores, parem com isso! Seus êxitos abrangem o Iraque, Líbia e Afeganistão. Orgulhem-se deles", Maria Zakharova escreveu no Facebook.

Anteriormente, o Ministério da Defesa russo criticou fortemente as ações da coalizão internacional encabeçada pelos EUA na Síria.

"Em três anos de existência, somente agora a coalizão atingiu seu primeiro 'resultado' na luta contra Daesh na Síria: destruiu com bombardeios Raqqa junto com civis", lê-se no comunicado do ministério russo.

Na sexta-feira (8), o ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, afirmou estar surpreso que a Rússia tenha "se apropriado" da vitória sobre o Daesh na Síria. Ele frisou que, em sua opinião, trata-se de uma "interpretação meio infundada".

Para ele, foram as forças da coalizão internacional que expulsaram o Daesh dos territórios ocupados. Quanto à Rússia, o ministro acredita que militares russos chegaram atrasados à Síria somente para ajudar o presidente Bashar Assad e, no fim das contas, conseguiram libertar a cidade de Deir ez-Zor.

O especialista russo em ciências políticas, Sergei Kozlov, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, também comentou a situação.

"Guerra abrange campos de batalha além da Síria e Iraque. Simultaneamente, meios de informação estão realizando uma 'luta pela vitória sobre o Daesh'. A coalizão internacional, liderada pelos EUA, fará de tudo para se apropriar da vitória. Sem dúvidas, os êxitos da Rússia e do exército sírio, que suportaram o peso principal desta luta, serão gradualmente diminuídos, ainda mais porque a guerra está acontecendo bem longe dos EUA e da Europa e para o público massivo, ao qual são destinadas as declarações do tipo, essas notícias pesam mais do que os acontecimentos reais na Síria", assinalou Sergei Kozlov.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas