Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Mais 2 palestinos morrem após ataque israelense na Faixa de Gaza

Total de mortos chega a 4 após Israel atacar a Faixa de Gaza e atingir militantes do Hamas; confrontos começaram após Donald Trump reconhecer Jerusalém como capital israelense.
Por G1

Mais dois palestinos morreram neste sábado (9) em um ataque aéreo israelense na Faixa de Gaza contra alvos do movimento palestino Hamas. A Defesa de Israel disse que o bombardeio foi uma resposta a um foguete lançado pelo Hamas na sexta-feira. Os confrontos começaram após o presidente norte-americano, Donald Trump, reconhecer Jerusalém como a capital israelense nesta semana.

"Na manhã de sábado, equipes de resgate encontraram os corpos de dois palestinos que morreram em ataques aéreos israelenses na noite passada no norte da Faixa de Gaza", disse o porta-voz Ashraf Al Qedra.

Com essas duas mortes, subiu para quatro o número de palestinos mortos desde a última sexta-feira (8). Já são mais de 300 feridos desde que o grupo islâmico voltou a atacar Israel, após a decisão do governo americano, tomada na…

Navio com submersível russo zarpa em busca do submarino argentino perdido

O navio da Marinha argentina Islas Malvinas zarpou do porto de Comodoro Rivadavia, na província argentina de Chubut, levando a bordo o veículo submarino operado remotamente Pantera Plus, que irá participar nas buscas do submarino desaparecido ARA San Juan.


Sputnik

O navio Islas Malvinas, de origem russa e propriedade da Marinha argentina, partiu em 1 de dezembro às 6h00 GMT (3h00, no horário de Brasília), disse a Sputnik.


O navio Islas Malvinas da Marinha argentina com o submersível russo Pantera Plus
O navio Islas Malvinas da Marinha argentina com o submersível russo Pantera Plus © FOTO: RUBÉN PALOMEQUE

O navio foi submetido a trabalhos de soldagem para adaptar os equipamentos russos.

Em 30 de novembro, as autoridades da Argentina decidiram suspender a operação de resgate dos 44 tripulantes do submarino San Juan, desaparecido há 16 dias no sul do Atlântico, e continuar apenas as buscas da embarcação no fundo do mar, disse em coletiva de imprensa o porta-voz da Marinha, Enrique Balbi.

Em 15 de novembro, o submarino ARA San Juan relatou sua última posição a 430 quilômetros do ponto mais próximo da costa da Península Valdés, no sudeste da Argentina, quando navegava nas águas do oceano Atlântico, tendo partido de Ushuaia com destino à base naval de Mar del Plata.

A Marinha argentina confirmou que no mesmo dia do desaparecimento se produziu um "evento consistente com explosão".

O submarino foi construído na Alemanha em 1983 e, dois anos mais trade, entrou em serviço da Marinha do país latino-americano. A embarcação estava operando pelo segundo ano depois de ter passado por uma reparação extensa entre 2007 e 2014.


Postar um comentário