Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Primeiro voo do Aero L-159T2

A Aero Vodochody realizou o primeiro voo do treinador a jato L-159T2 de dois lugares em 1º de agosto. O voo de 30 minutos foi conduzido pelos pilotos de testes da empresa Vladimír Kvarda e David Jahoda.
Poder Aéreo

A Força Aérea Tcheca encomendou três exemplares em 2016, que devem ser entregues até o final deste ano. As aeronaves L-159 são operadas pelas forças aéreas tcheca e iraquiana, pela empresa americana Draken International e, no passado, foram alugadas pela Força Aérea Húngara para treinamento de pilotos.

Estas novas aeronaves de assento duplo T2 têm uma fuselagem central e dianteira recém-construída e apresentam várias melhorias significativas, principalmente em equipamentos de cockpit e sistema de combustível, e são totalmente compatíveis com o NVG. Cada cockpit é equipado com duas telas multifuncionais e um assento de ejeção VS-20 atualizado. A aeronave também pode oferecer uma capacidade de reabastecimento sob pressão. O radar GRIFO, já em uso na versão de um único assento, a…

Navio com submersível russo zarpa em busca do submarino argentino perdido

O navio da Marinha argentina Islas Malvinas zarpou do porto de Comodoro Rivadavia, na província argentina de Chubut, levando a bordo o veículo submarino operado remotamente Pantera Plus, que irá participar nas buscas do submarino desaparecido ARA San Juan.


Sputnik

O navio Islas Malvinas, de origem russa e propriedade da Marinha argentina, partiu em 1 de dezembro às 6h00 GMT (3h00, no horário de Brasília), disse a Sputnik.


O navio Islas Malvinas da Marinha argentina com o submersível russo Pantera Plus
O navio Islas Malvinas da Marinha argentina com o submersível russo Pantera Plus © FOTO: RUBÉN PALOMEQUE

O navio foi submetido a trabalhos de soldagem para adaptar os equipamentos russos.

Em 30 de novembro, as autoridades da Argentina decidiram suspender a operação de resgate dos 44 tripulantes do submarino San Juan, desaparecido há 16 dias no sul do Atlântico, e continuar apenas as buscas da embarcação no fundo do mar, disse em coletiva de imprensa o porta-voz da Marinha, Enrique Balbi.

Em 15 de novembro, o submarino ARA San Juan relatou sua última posição a 430 quilômetros do ponto mais próximo da costa da Península Valdés, no sudeste da Argentina, quando navegava nas águas do oceano Atlântico, tendo partido de Ushuaia com destino à base naval de Mar del Plata.

A Marinha argentina confirmou que no mesmo dia do desaparecimento se produziu um "evento consistente com explosão".

O submarino foi construído na Alemanha em 1983 e, dois anos mais trade, entrou em serviço da Marinha do país latino-americano. A embarcação estava operando pelo segundo ano depois de ter passado por uma reparação extensa entre 2007 e 2014.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas