Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan diz que Turquia continuará operação na Síria, pactuada com Moscou

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda-feira que seu país não interromperá sua operação militar lançada no sábado contra as milícias curdas aliadas dos Estados Unidos no norte da Síria e insistiu que esta operação está pactuada com a Rússia.
EFE

"Não vamos retroceder em Afrin. Falamos com os russos e há consenso", disse o político islamita em relação à região do norte da Síria nas mãos das milícias curdas Unidades de Proteção do Povo (YPG), que Ancara considera terroristas e aliadas da guerrilha curda da Turquia, o PKK.


Erdogan voltou a acusar os EUA de armar e apoiar as YPG, aliadas de Washington contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

"Não são honestos conosco. Continuaremos o nosso caminho no marco das conversações que mantemos com a Rússia", apontou.

"Queríamos comprar armas (com os EUA). Não nos deram e entregaram as mesmas armas a organizações terroristas. Que tipo de aliança estratégica é essa?", afirmou o presidente da T…

Número de tropas da OTAN perto das fronteiras russas quadruplicou desde 2012

O contingente de tropas da OTAN, instaladas perto das fronteiras russas desde 2012, cresceu de 10 para 40 mil oficiais. Foi isso que o Ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, afirmou nesta sexta-feira (22), durante encontro do Ministério da Defesa com a participação do presidente da Rússia, Vladimir Putin.


Sputnik

Durante encontro, Sergei Shoigu indicou que o sistema antimíssil dos EUA na Europa atingiu o nível de "prontidão operacional inicial". Nos últimos cinco anos, o número de oficiais instalados perto das fronteiras da Rússia cresceu quatro vezes, de 10 mil para 40 mil.


Tanques da OTAN na Letônia, perto da fronteira com a Rússia
Blindados da OTAN na Letônia, próximo a fronteira com a Rússia © AP Photo/ Mindaugas Kulbis

"Nos países bálticos a na Polônia, estão instalados quatro grupos táticos, brigada blindada do exército dos EUA, sede da divisão multinacional da OTAN na Polônia e na Romênia", adicionou.

O ministro adicionou também que os países da OTAN vêm intensificando suas operações de vigilância perto da Rússia. “Nós decididamente impedimos quaisquer tentativas de violar as fronteiras aéreas e navais”, frisou Shoigu.

Além disso, o ministro afirmou que o exército russo é compacto e móvel, não "brande armas". Ao mesmo tempo, ele aconselhou que não testem capacidade de combate da Rússia.

"Hoje em dia o exército russo é moderno, móvel, compacto e possui alto poder de combate. Não brandimos armas e não desejamos entrar em guerra com ninguém. Ao mesmo tempo, não aconselhamos testas nossa defesa", advertiu Sergei Shoigu.

O ministro acrescentou que os militares russos estão determinados a manter o ritmo de modernização acelerado e aquisição de novo equipamento também no ano que vem. As Forças Armadas russas vão receber dez sistemas de defesa antimíssil S-400 e pôr em serviço 11 sistemas de mísseis Yars.

"A porcentagem de armas modernas no exército russo deve crescer 61% até o fim de 2018, inclusive 82% em forças nucleares estratégicas, 46% em tropas terrestres, 74% na Força Aeroespacial, 55% na Marinha."

As relações entre a Rússia e a OTAN vêm piorando significativamente desde 2014, quando a Aliança decidiu suspender a cooperação com Moscou devido à crise ucraniana desencadeada após o golpe de Estado em Kiev.


Postar um comentário