Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil simula resgate de civis em área de conflito ou desastre natural (VÍDEO)

A Marinha do Brasil realizou entre os dias 6 e 14 de novembro a Operação Atlântico, na praia de Itaoca, no Espírito Santo. A simulação deste ano treinou os oficiais para casos em que houvesse resgate de civis em uma área de conflito armado ou que foram alvos de desastres naturais.
Sputnik

Era por volta de 5h40 do dia 10 de novembro, um sábado, ainda estava amanhecendo, quando o Almirante Paulo Martinho Zucaro, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, olhou e disse para a reportagem da Sputnik Brasil: "É guerra".


A declaração foi dada para explicar os motivos de se realizar um treinamento deste porte mesmo em condições extremamente desfavoráveis. A chuva era forte, as ondas na beira da praia atingiam 1,5 metros e os ventos chegaram a 20 km/h. O nível de dificuldade preocupava o alto comando, mas não foi um problema para os fuzileiros e marinheiros.

Antes do amanhecer, sete Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) chegaram à praia e deram início ao desembarque. Após eles chegarem foi…

Número de tropas da OTAN perto das fronteiras russas quadruplicou desde 2012

O contingente de tropas da OTAN, instaladas perto das fronteiras russas desde 2012, cresceu de 10 para 40 mil oficiais. Foi isso que o Ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, afirmou nesta sexta-feira (22), durante encontro do Ministério da Defesa com a participação do presidente da Rússia, Vladimir Putin.


Sputnik

Durante encontro, Sergei Shoigu indicou que o sistema antimíssil dos EUA na Europa atingiu o nível de "prontidão operacional inicial". Nos últimos cinco anos, o número de oficiais instalados perto das fronteiras da Rússia cresceu quatro vezes, de 10 mil para 40 mil.


Tanques da OTAN na Letônia, perto da fronteira com a Rússia
Blindados da OTAN na Letônia, próximo a fronteira com a Rússia © AP Photo/ Mindaugas Kulbis

"Nos países bálticos a na Polônia, estão instalados quatro grupos táticos, brigada blindada do exército dos EUA, sede da divisão multinacional da OTAN na Polônia e na Romênia", adicionou.

O ministro adicionou também que os países da OTAN vêm intensificando suas operações de vigilância perto da Rússia. “Nós decididamente impedimos quaisquer tentativas de violar as fronteiras aéreas e navais”, frisou Shoigu.

Além disso, o ministro afirmou que o exército russo é compacto e móvel, não "brande armas". Ao mesmo tempo, ele aconselhou que não testem capacidade de combate da Rússia.

"Hoje em dia o exército russo é moderno, móvel, compacto e possui alto poder de combate. Não brandimos armas e não desejamos entrar em guerra com ninguém. Ao mesmo tempo, não aconselhamos testas nossa defesa", advertiu Sergei Shoigu.

O ministro acrescentou que os militares russos estão determinados a manter o ritmo de modernização acelerado e aquisição de novo equipamento também no ano que vem. As Forças Armadas russas vão receber dez sistemas de defesa antimíssil S-400 e pôr em serviço 11 sistemas de mísseis Yars.

"A porcentagem de armas modernas no exército russo deve crescer 61% até o fim de 2018, inclusive 82% em forças nucleares estratégicas, 46% em tropas terrestres, 74% na Força Aeroespacial, 55% na Marinha."

As relações entre a Rússia e a OTAN vêm piorando significativamente desde 2014, quando a Aliança decidiu suspender a cooperação com Moscou devido à crise ucraniana desencadeada após o golpe de Estado em Kiev.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas