Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Vídeo mostra momento do encontro do submarino argentino Ara San Juan

Profissionais que operavam um dos veículos submarinos foram os primeiros a ver em tela as imagens da embarcação, que estava desaparecida desde 15 de novembro do ano passado. Submarino foi localizado a 907 metros de profundidade.
Por G1

Um vídeo divulgado neste domingo (18) mostra as primeiras imagens do submarino Ara San Juan, no momento em que profissionais da empresa Ocean Infinity o localizaram. O encontro foi anunciado pela Marinha da Argentina na madrugada de sábado.


No vídeo é possível ver quando a equipe que opera um dos veículos que fazia as buscas vê a embarcação pela primeira vez em uma região de cânions (espécie de rios submarinos), a 907 metros de profundidade, e a 600 km da cidade de Comodoro Rivadavia.

O Ara San Juan desapareceu em 15 de novembro de 2017, com 44 pessoas a bordo, e sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma á…

OTAN arrisca perder membro chave – a Turquia

A Aliança Atlântica incluindo os EUA menospreza os interesses vitais da segurança da Turquia, informa o Daily Sabah.


Sputnik

Segundo aponta a edição, agindo de tal maneira a OTAN força a parte turca para considerar a necessidade de uma maior adesão neste bloco militar. 


Bandeira da Turquia
Bandeira da Turquia © AP Photo/ Emrah Gurel

As questões mais importantes da agenda das relações entre os EUA e a Turquia, continuam sendo o apoio de militantes curdos e unidades de proteção popular (YPG em inglês) pelos EUA, a recusa de extraditar Fethullah Gulen – "o líder do grupo terrorista do movimento Gulen", a falta de vontade de cooperar com os turcos no domínio da defesa, bem como o caso da suposta violação de sanções contra o Irã por Ancara.

A Turquia e os EUA atingiram o ponto crítico nas suas relações, em que a "parceria estratégica" perdeu o seu significado. O presidente norte-americano, Donald Trump, tentou melhorar as relações entre Washington e Ancara, mostrando prontidão para acabar com o fornecimento de armas para os militantes do grupo YPG, mas os oficias do Pentágono se recusaram a acabar com a cooperação com o grupo curdo.

Durante o ano passado, a administração de Trump não conseguiu resolver as divergências entre a Casa Branca, Pentágono e o Departamento de Estado.

O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, anunciou a preocupação de Washington em relação à aproximação da Turquia com Rússia e Irã.

"Pedimos à Turquia, como membro da OTAN, que escolha como prioridade o lado dos aliados na aliança. O Irã e a Rússia não podem oferecer tais benefícios políticos e econômicos ao povo turco como a comunidade de países ocidentais pode fornecer", declarou Rex Tillerson.

Segundo a Daily Sabah, o secretário de Estado norte-americano continua ignorando o alto custo da política equivocada de Washington em relação à Turquia.

Entretanto, a Turquia já está considerando a recusa de armas nucleares norte-americanas e a sua retirada do território turco, devido à degradação das relações entre Ancara e Washington, segundo informou o Deutsche Wirtschafts Nachrichten. A mídia turca afirmou que esta medida beneficiará ambos os países.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas