Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Águas 'quentes' da Síria: fragata russa persegue submarino nuclear dos EUA

Durante sua última missão no mar Mediterrâneo em abril passado, a fragata Admiral Essen da Marinha russa conseguiu detectar e perseguir um submarino nuclear dos EUA perto da costa síria. Essa informação foi só agora tornada pública.
Sputnik

A fragata Admiral Essen, pertencente à Frota do Mar Negro, perseguiu o submarino estadunidense da classe Ohio durante mais de duas horas, comunica o jornal russo Izvestiya, citando o Estado-Maior da Marinha russa.

A tripulação do navio russo registrou os parâmetros principais do submarino para, em seguida, os adicionar ao retrato acústico do submersível.

A fragata havia partido para o mar Mediterrâneo em março e regressou à base de Sevastopol no fim de junho. Encontrava-se na zona costeira síria quando os EUA, o Reino Unido e a França atacaram a Síria com mísseis.

Além disso, no decurso da missão, a sua tripulação realizou uma série de manobras táticas. Em particular, treinou ataques contra alvos marítimos e aéreos, combate em grupo e isolado, bem como…

Palestinos fazem greve após Trump reconhecer Jerusalém como capital de Israel

Os palestinos em Gaza, Cisjordânia e Jerusalém Oriental, estão monitorando, nesta quinta-feira, a greve geral convocada em rejeição à decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como capital de Israel, enquanto o Exército e polícia israelenses estão em alerta.


EFE

As facções islâmicas e laicas palestinas em Gaza convocaram ontem a greve geral e manifestações ao meio-dia para protestar contra o anúncio do presidente Trump, onde reconhece Jerusalém como a capital de Israel, segundo informaram em comunicado conjunto.


Estabelecimentos comerciais todos fechados por conta da greve em Nablus. EFE/ Abed Al Hashlamoun
Estabelecimentos comerciais todos fechados por conta da greve em Nablus. EFE/ Abed Al Hashlamoun

O ministro da Educação da Palestina, Sabri Saidam, respondeu à convocação decretando hoje o fechamento das escolas, e pediu para que professores e estudantes participassem das manifestações previstas na Cisjordânia, Faixa de Gaza e zonas palestinas de Jerusalém.

Ontem, durante discurso em Washington, Trump disse ter decidido reconhecer Jerusalém como capital de Israel e transferir a embaixada de seu país para aquela cidade.

Árabes e muçulmanos de Israel, territórios palestinos e outros países do Oriente Médio qualificaram a decisão de "incendiária".


Postar um comentário

Postagens mais visitadas