Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil abre processo administrativo para apurar vídeo de militares dançando 'Jenifer' em navio

Em nota, a Marinha informou que e 'foi constatado comportamento completamente incompatível com as tradições' e que irá apurar o ocorrido.
Por G1 Rio

A Marinha do Brasil instaurou um processo administrativo para apurar um vídeo em que um grupo de militares aparece dançando a música "Jenifer" em um navio oficial.


A embarcação, segundo a Marinha, é o Aviso de Instrução Guarda-Marinha Brito, que fica sediado no Rio de Janeiro. A gravação foi feita durante o estágio de mar de militares.

Em nota, a Marinha informou que "foi constatado comportamento completamente incompatível com as tradições da Marinha" e que, para ampliar a apuração do ocorrido, foi instaurado um procedimento administrativo "cuja conclusão, certamente, conterá as propostas pertinentes às necessárias correções no inaceitável comportamento".

Assista o vídeo

Palestinos fazem greve após Trump reconhecer Jerusalém como capital de Israel

Os palestinos em Gaza, Cisjordânia e Jerusalém Oriental, estão monitorando, nesta quinta-feira, a greve geral convocada em rejeição à decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como capital de Israel, enquanto o Exército e polícia israelenses estão em alerta.


EFE

As facções islâmicas e laicas palestinas em Gaza convocaram ontem a greve geral e manifestações ao meio-dia para protestar contra o anúncio do presidente Trump, onde reconhece Jerusalém como a capital de Israel, segundo informaram em comunicado conjunto.


Estabelecimentos comerciais todos fechados por conta da greve em Nablus. EFE/ Abed Al Hashlamoun
Estabelecimentos comerciais todos fechados por conta da greve em Nablus. EFE/ Abed Al Hashlamoun

O ministro da Educação da Palestina, Sabri Saidam, respondeu à convocação decretando hoje o fechamento das escolas, e pediu para que professores e estudantes participassem das manifestações previstas na Cisjordânia, Faixa de Gaza e zonas palestinas de Jerusalém.

Ontem, durante discurso em Washington, Trump disse ter decidido reconhecer Jerusalém como capital de Israel e transferir a embaixada de seu país para aquela cidade.

Árabes e muçulmanos de Israel, territórios palestinos e outros países do Oriente Médio qualificaram a decisão de "incendiária".


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas