Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa russa: avião Il-20 foi derrubado por mísseis sírios S-200

De acordo com o ministério russo, o sistema de defesa aérea sírio tentava atacar um avião de Israel. No entanto, a tripulação israelense fez uma manobra especial para se proteger, e o míssil acabou atingindo acidentalmente o avião russo Il-20.
Sputnik

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, acima do território do mar Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, informou o comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. O represente oficial da Defesa russa, Igor Konashenkov sublinhou que os aviões israelenses "propositalmente criaram uma situação perigosa para navios e aviões nessa região".

Na opinião dele, para evitar o ataque sírio, a tripulação israelense acabou tornando o Ilyushin-20 alvo de ataque.

"Ao tentarem proteger-se com ajuda do avião russo, os pilotos israelenses o puseram debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea da Síria"…

Parlamentar revela que 'herança militar' a Rússia deixará na Síria após a guerra

O vice-presidente do Comitê de Defesa da Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo), Yury Shvytkin, indicou que forças a Rússia deixará na Síria após o fim do conflito.


Sputnik

"Planeja-se deixar ali as duas nossas bases militares, bem como o Centro para a Reconciliação. Aconteça o que acontecer, planeja-se que estas três instalações fiquem na Síria", afirmou o parlamentar.


Piloto russo no aeródromo de Hmeymim na Síria
Piloto e helicóptero militar russo em base aérea na Síria © Sputnik/ Dmitry Vinogradov

Shvytkin acrescentou que a cooperação entre a Rússia e a Síria, inclusive nos campos militar e social, continuará depois da saída das tropas russas do país árabe, pois Moscou não exclui a possibilidade de "incursões de diversos grupos do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia).

Ao mesmo tempo, o presidente do Comitê de Defesa e Segurança do Conselho de Federação (câmara alta do parlamento russo), Viktor Bondarev, disse que, após a derrota dos terroristas, as tropas sírias, apoiadas pela Força Aeroespacial russa, serão responsáveis por manter a ordem no país.

No fim de novembro, o presidente russo Vladimir Putin declarou, durante uma reunião com seu homólogo sírio Bashar Assad, que a operação militar na Síria se aproxima do fim.

De acordo com o vice-presidente do Comitê de Defesa e Segurança do Conselho da Federação, Frants Klintsevich, as declarações de Putin indicam que a operação militar será concluída antes do fim do ano. "Mas ainda é cedo para falar da retirada das Forças Armadas da Rússia. É necessário consolidar o sucesso e limpar o país das minas", acrescentou.

De acordo com o senador, o contingente da aviação e das tropas terrestres russas será reduzido.

Atualmente, Moscou tem no país árabe duas grandes instalações militares: a base aérea de Hmeymim e a base naval militar de Tartus, na costa do mar Mediterrâneo.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas