Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Pentágono nega derrota de Daesh para poder ficar na Síria

O Pentágono põe em dúvida a derrota do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia) na Síria porque busca um pretexto para deixar as suas tropas lá, declarou o porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, Igor Konashenkov.


Sputnik

"As declarações do Pentágono de que o Daesh não foi derrotado na Síria são um pretexto artificial e um motivo para justificar a sua decisão de deixar de uma maneira legal as tropas norte-americanas na Síria", disse Konashenkov.



Resultado de imagem para tropas dos eua na siria
Tropas dos EUA na Síria | Reprodução

Para além disso, o porta-voz confirmou que somente graças à operação antiterrorista russa iniciada em 30 de setembro de 2015 se conseguiu estabilizar a situação na Síria e derrotar os jihadistas.

Segundo Konashenkov, é necessário lembrar ao Pentágono que a expansão do califado e os ataques terroristas na Síria começaram com a intervenção tática e silenciosa do exército norte-americano.

Se os terroristas não foram derrotados em algum lugar, disse, foi na zona de responsabilidade dos EUA no território do Iraque.

O porta-voz sublinhou que os EUA devem respeitar a soberania síria e as normas do direito internacional.

Em 6 de dezembro, o presidente russo Vladimir Putin anunciou que o Daesh foi completamente derrotado na Síria, em ambas as margens do rio Eufrates.

Por sua vez, o Pentágono expressou o seu desacordo com a declaração de Putin, dizendo que permanecem núcleos terroristas na zona e que devem ser tomadas as medidas necessárias.

A Síria tem vivido desde março de 2011 um conflito armado em que as tropas governamentais enfrentaram os grupos armados da oposição e organizações terroristas.

Segundo os dados da ONU, as hostilidades levaram à morte de 400.000 pessoas.


Postar um comentário