Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

Pentágono receia que 'precise abater' caças russos na Síria

Washington receia que os militares norte-americanos tenham que abater os caças russos na Síria se representarem ameaça para as forças aéreas ou terrestres da coalizão ocidental, informa o CNN.


Sputnik

Segundo indica o CNN, devido às atividades ativas na região do Eufrates, os militares russos e norte-americanos têm que manter constante contato por linha direta para evitar incidentes não desejados.


Caça russo Su-30 na base aérea na Síria
Caça russo Sukhoi Su-30 em base aérea na Síria © Sputnik/ Dmitri Vinogradov

Em meio às atividades não seguras de militares russos, os EUA começaram a recear que tenham que "abater" os caças russos no espaço aéreo sírio.

"Sobretudo, nos preocupamos que podemos derrubar um avião russo, porque as atividades da aviação russa podem ameaçar as nossas forças terrestres ou aéreas", afirmou o representante oficial do Comando da Força Aérea dos EUA, tenente coronel Damien Pickart.

Mais anteriormente os norte-americanos haviam acusado a Rússia e o "regime sírio" de que os seus caças violam os pontos de acordo entre Washington para evitar incidentes.

"No fim de novembro, a leste do Eufrates, onde os caças russos e sírios entraram em nosso espaço aéreo, foram registrados de 6 a 8 incidentes por dia", acrescentou ele.

De acordo com o militar norte-americano o número de incidentes diminuiu ultimamente, mas ainda é preciso resolvê-los cada dia através da linha direta.

De acordo com Pickart, a maioria dos incidentes no espaço aéreo ocorre entre a cidade síria Mayadeen e a fronteira iraquiana onde as Forças Democráticas da Síria e o governo iraquiano estão lutando contra os terroristas.


Comentários

Postagens mais visitadas