Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Vídeo mostra momento do encontro do submarino argentino Ara San Juan

Profissionais que operavam um dos veículos submarinos foram os primeiros a ver em tela as imagens da embarcação, que estava desaparecida desde 15 de novembro do ano passado. Submarino foi localizado a 907 metros de profundidade.
Por G1

Um vídeo divulgado neste domingo (18) mostra as primeiras imagens do submarino Ara San Juan, no momento em que profissionais da empresa Ocean Infinity o localizaram. O encontro foi anunciado pela Marinha da Argentina na madrugada de sábado.


No vídeo é possível ver quando a equipe que opera um dos veículos que fazia as buscas vê a embarcação pela primeira vez em uma região de cânions (espécie de rios submarinos), a 907 metros de profundidade, e a 600 km da cidade de Comodoro Rivadavia.

O Ara San Juan desapareceu em 15 de novembro de 2017, com 44 pessoas a bordo, e sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma á…

Pentágono receia que 'precise abater' caças russos na Síria

Washington receia que os militares norte-americanos tenham que abater os caças russos na Síria se representarem ameaça para as forças aéreas ou terrestres da coalizão ocidental, informa o CNN.


Sputnik

Segundo indica o CNN, devido às atividades ativas na região do Eufrates, os militares russos e norte-americanos têm que manter constante contato por linha direta para evitar incidentes não desejados.


Caça russo Su-30 na base aérea na Síria
Caça russo Sukhoi Su-30 em base aérea na Síria © Sputnik/ Dmitri Vinogradov

Em meio às atividades não seguras de militares russos, os EUA começaram a recear que tenham que "abater" os caças russos no espaço aéreo sírio.

"Sobretudo, nos preocupamos que podemos derrubar um avião russo, porque as atividades da aviação russa podem ameaçar as nossas forças terrestres ou aéreas", afirmou o representante oficial do Comando da Força Aérea dos EUA, tenente coronel Damien Pickart.

Mais anteriormente os norte-americanos haviam acusado a Rússia e o "regime sírio" de que os seus caças violam os pontos de acordo entre Washington para evitar incidentes.

"No fim de novembro, a leste do Eufrates, onde os caças russos e sírios entraram em nosso espaço aéreo, foram registrados de 6 a 8 incidentes por dia", acrescentou ele.

De acordo com o militar norte-americano o número de incidentes diminuiu ultimamente, mas ainda é preciso resolvê-los cada dia através da linha direta.

De acordo com Pickart, a maioria dos incidentes no espaço aéreo ocorre entre a cidade síria Mayadeen e a fronteira iraquiana onde as Forças Democráticas da Síria e o governo iraquiano estão lutando contra os terroristas.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas