Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

Presidente da Coreia do Sul revela verdadeiro objetivo da sua visita à China

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, disse que o objetivo principal da sua primeira visita oficial à China, que começa em 13 de dezembro, é recuperar a confiança entre os dois países.


Sputnik

Durante a sua estadia na China,de 13 a 16 de dezembro, Moon vai reunir-se com o presidente chinês, Xi Jinping, com quem se encontrou na cúpula do G20 em julho passado e no Fórum APEC em novembro.


Moon Jae-in, presidente da Coreia do Sul na cúpula da ASEAN, 13 de novembro, 2017
Moon Jae-in, presidente da Coreia do Sul © REUTERS/ Noel Celis

"Será o meu terceiro encontro com o presidente Xi, mas a minha primeira visita à China. O objetivo principal e o foco desta visita será o restabelecimento da confiança entre a Coreia do Sul e a China", declarou Moon em uma entrevista ao canal de televisão CCTV.

As relações entre os dois países se deterioraram depois de Seul ter decidido instalar no território sul-coreano o sistema norte-americano de defesa antimíssil THAAD (Defesa Terminal de Área de Alta Altitude, na sigla em inglês).

Tanto Seul como Washington afirmaram várias vezes que o THAAD somente pretende fazer contrapeso à ameaça norte-coreana, mas Pequim e Moscou suspeitam que, de fato, os EUA procuram aumentar a sua presença na zona e monitorar as suas defesas.


Comentários

Postagens mais visitadas