Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

No decorrer da operação Ramo de Oliveira será criada zona de segurança na Síria

O primeiro-ministro turco Binali Yildirim anunciou a criação, durante a operação militar turca na província síria de Afrin, de uma faixa de segurança de 30 quilômetros.
Sputnik

O premiê, citado pela emissora Haberturk, adiantou também que a operação seria efetuada em quatro etapas.


"A operação vai decorrer em 4 etapas com o objetivo de criar uma faixa de segurança de 30 quilômetros, que será limpa de terroristas", disse o político, citado pela emissora NTV.

Yildirim adiantou que até agora não há mortos ou feridos entre o contingente turco que realiza a operação.

Mais cedo, o Estado-Maior da Turquia anunciou o início da operação "Ramo de Oliveira" contra os grupos curdos na província síria de Afrin, que começou precisamente às 14h00 locais (12h00 no horário de Brasília). De acordo com a entidade militar, a operação conta com a participação de 72 aviões, enquanto 108 dos 113 alvos planejados já foram eliminados. Há poucos dias, o premiê turco, Binali Yildirim, havia avanç…

Presidente da Coreia do Sul revela verdadeiro objetivo da sua visita à China

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, disse que o objetivo principal da sua primeira visita oficial à China, que começa em 13 de dezembro, é recuperar a confiança entre os dois países.


Sputnik

Durante a sua estadia na China,de 13 a 16 de dezembro, Moon vai reunir-se com o presidente chinês, Xi Jinping, com quem se encontrou na cúpula do G20 em julho passado e no Fórum APEC em novembro.


Moon Jae-in, presidente da Coreia do Sul na cúpula da ASEAN, 13 de novembro, 2017
Moon Jae-in, presidente da Coreia do Sul © REUTERS/ Noel Celis

"Será o meu terceiro encontro com o presidente Xi, mas a minha primeira visita à China. O objetivo principal e o foco desta visita será o restabelecimento da confiança entre a Coreia do Sul e a China", declarou Moon em uma entrevista ao canal de televisão CCTV.

As relações entre os dois países se deterioraram depois de Seul ter decidido instalar no território sul-coreano o sistema norte-americano de defesa antimíssil THAAD (Defesa Terminal de Área de Alta Altitude, na sigla em inglês).

Tanto Seul como Washington afirmaram várias vezes que o THAAD somente pretende fazer contrapeso à ameaça norte-coreana, mas Pequim e Moscou suspeitam que, de fato, os EUA procuram aumentar a sua presença na zona e monitorar as suas defesas.


Postar um comentário