Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Presidente turco chama Bashar Assad de 'terrorista'

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, acusou o líder sírio, Bashar Assad, de apoiar o terrorismo.


Sputnik

"[Bashar] Assad definitivamente é um terrorista que protagoniza o terrorismo estatal", afirmou o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, durante coletiva de imprensa, transmitida pela TV, com seu homólogo tunisiano, Beji Caid Essebsi.


Presidente turco Recep Tayyip Erdogan (foto de arquivo)
Presidente da Turquia Recep Tayyip Erdogan © AFP 2017/ ADEM ALTAN

"É impossível continuar com Assad. Como podemos enfrentar os desafios do futuro com um presidente sírio que matou aproximadamente um milhão de seus cidadãos?", Erdogan perguntou de forma retórica.

Apesar de a Turquia desempenhar função de mediadora nas negociações sobre o cessar-fogo sírio, assim como a Rússia e o Irã, Bashar Assad, recusou-se a considerar Turquia como parceira e país garantidor por acreditar que Ancara apoie o terrorismo.

O presidente sírio ainda não comentou a acusação, contudo, ele desmentiu repetidamente alegações de ter civis como alvos de ataque.

Por sua vez, Ancara vem demonstrando posturas diferentes quanto ao futuro político da Síria. Em novembro, Erdogan declarou que Turquia não planeja manter contatos futuros com Assad, após um comunicado declarado pelo ministro das Relações Exteriores turco de que Ancara já não considera Damasco como uma ameaça. No entanto, desde que a guerra civil começou na Síria em 2011, Turquia, assim como muitos outros países, inclusive os EUA, expressou apoio para saída de Bashar Assad do poder.

No terceiro trimestre deste ano, Ancara instalou pontos de observação na cidade síria de Afrin, bem como tropas para apoiar a operação antiterrorista realizada pelo Exército Livre da Síria. Enquanto a Turquia afirma que a operação foi concordada nas negociações em Astana, capital do Cazaquistão, a Síria acusou a Turquia de "ações agressivas" que violam a lei internacional.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas