Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa russa: avião Il-20 foi derrubado por mísseis sírios S-200

De acordo com o ministério russo, o sistema de defesa aérea sírio tentava atacar um avião de Israel. No entanto, a tripulação israelense fez uma manobra especial para se proteger, e o míssil acabou atingindo acidentalmente o avião russo Il-20.
Sputnik

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, acima do território do mar Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, informou o comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. O represente oficial da Defesa russa, Igor Konashenkov sublinhou que os aviões israelenses "propositalmente criaram uma situação perigosa para navios e aviões nessa região".

Na opinião dele, para evitar o ataque sírio, a tripulação israelense acabou tornando o Ilyushin-20 alvo de ataque.

"Ao tentarem proteger-se com ajuda do avião russo, os pilotos israelenses o puseram debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea da Síria"…

Publicado VÍDEO de uma fuga em porta-aviões britânico com menos de um mês de serviço

Anteriormente, um porta-voz da Marinha Real do Reino Unido declarou que no porta-aviões Queen Elizabeth, o maior e mais poderoso da história do país, foi encontrada uma falha menos de um mês depois de ter entrado em serviço.


Sputnik

O canal do YouTube Weapons of the World publicou um vídeo do novo porta-aviões Queen Elizabeth, que mostra uma fuga que ocorreu no navio.


Os aviões ameicanos F/A-18E e F/A-18F Super Hornets sobrevoam o porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth durante as manobras Saxon Warrior no Atlântico, em 5 de agosot de 2017
F/A-18 Super Hornets da USAF sobrevoando o HMS Queen Elizabeth © REUTERS/ U.S. Navy/Capt. Jim McCall

O HMS Queen Elizabeth, o maior e mais poderoso porta-aviões da história do Reino Unido, experimentou uma falha menos de um mês depois de ter entrado em serviço. Entretanto, segundo o porta-voz da Marinha britânica, esse defeito "não o impede de voltar a navegar e não afetará seu programa de ensaios no mar".

O porta-aviões Queen Elizabeth, de 280 metros de comprimento e 75 de boca, tem 65 mil toneladas de deslocamento e pode alcançar uma velocidade máxima de 25 nós (46 km/h) sendo o maior navio de guerra alguma vez construído no Reino Unido. Seu design e construção foram aprovados em 1999 e seu custo total foi de cerca de 3,1 bilhões de libras esterlinas (US$ 4,2 bilhões ou R$ 13,6 bilhões).

O porta-aviões entrou em serviço em 7 de dezembro e espera-se que passe por várias provas durante os próximos anos.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas