Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin passa para Trump a responsabilidade de resolver conflito na Síria

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, passou a bola para que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, seja o responsável por resolver o conflito na Síria.
EFE

Helsinque - Em entrevista coletiva conjunta realizada nesta segunda-feira, em Helsinque, após a primeira cúpula entre os dois líderes, Putin também deu para Trump uma bola oficial da Copa do Mundo.

"No que se refere ao fato de a bola da Síria estar no nosso telhado, senhor presidente, o senhor acaba de dizer que organizamos com sucesso o Mundial de Futebol. Portanto, quero agora entregar esta bola. Agora, a bola está do seu lado", disse Putin.

O presidente russo fazia uma referência a uma frase do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, que havia afirmado que a bola para resolver o conflito na Síria estava no telhado do Kremlin.

Trump agradeceu pelo presente e disse estar confiante de que EUA, México e Canadá organizarão em 2026 uma Copa do Mundo tão bem-sucedida como a da Rússia.

Na sequência, o presidente americ…

Putin: Rússia continuará combatendo o terrorismo na Síria se for necessário

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, declarou nesta segunda-feira (25) que o país continuará sua luta contra o terrorismo, inclusive no território sírio, se for necessário.


Sputnik

"Não há necessidade de um uso tão generalizado das forças armadas russas na Síria, como era antes, embora tenhamos duas bases, e nós, é claro, continuaremos a combater o terrorismo, incluindo no território da Síria, se necessário, trabalhando de forma seletiva", disse Putin na reunião com os presidentes das câmaras da Assembleia Federal Russa.


Residentes de Latakia participam da manifestação para agradecer a Rússia pela ajuda na luta contra terroristas, Síria, novembro de 2015
Moradores de Latakia, na Síria, fazem manifestação em agradecimento à Rússia © Sputnik/ Dmitry Vinogradov

O líder russo reiterou que, mesmo se as forças armadas russas continuassem com atividades antiterroristas na Síria, a escala de seu envolvimento seria muito menor que antes.

"Mas, repito, não como era antes, com um uso tão amplo de todos os componentes de nossas forças armadas. É por isso que a retirada ocorreu, já que não há mais necessidade de equipamentos e pessoal. Pelo menos não é necessário agora", acrescentou.

Em 11 de dezembro de 2017, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenou o início da retirada das tropas russas da Síria. Moscou manterá a presença na base aérea de Hmeymim e no porto de Tartus.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas