Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

OTAN se prepara para maiores exercícios militares desde 2002

A OTAN está se preparando para realizar seus maiores exercícios militares desde 2002. Trata-se dos Trident Juncture 2018, dos quais participarão mais de 40.000 militares de 30 países membros e parceiros da OTAN.
Sputnik

A fase principal das manobras irá ser realizada entre os dias 25 de outubro e 7 de novembro, na Noruega e áreas vizinhas, com exercícios preliminares nas águas ao largo da costa da Islândia de 15 a 17 de outubro.

Defender-se contra 'qualquer ameaça em qualquer momento'

O objetivo dos exercícios é a dissuasão e defesa contra "qualquer ameaça, de qualquer lugar e em qualquer momento", explicou nesta semana o almirante da Marinha dos EUA a jornalistas em Bruxelas, James G. Foggo III, comandante dos exercícios.

O militar revelou que os Trident Juncture mostram que a OTAN está unida e pronta para se defender valendo-se da defesa coletiva. Neste sentido, o cenário dos exercícios inclui uma violação da soberania de um aliado da OTAN, neste caso da Noruega.

Ao mesm…

Putin: Rússia contribuiu como ninguém na derrota dos terroristas na Síria

O presidente da Rússia afirmou que em dois anos mais de 48 mil militares russos participaram da operação síria.


Sputnik

"Em um pouco mais de dois anos, na operação síria participaram mais de 48 mil de nossos oficiais e soldados. Trata-se de representantes de praticamente todas as profissões militares: pilotos e marinheiros, oficiais das forças especiais e da polícia militar, sapadores, exploradores, soldados do serviço de telecomunicações, especialistas da assistência médica e da logística militar, oficiais de órgãos administrativos e conselheiros militares", assinalou Vladimir Putin durante encontro com oficiais que participaram da operação antiterrorista na Síria.


Presidente russo, Vladimir Putin, discursando para as tropas russas na base aérea de Hmeymim, Síria, 11 de dezembro de 2017
Presidente da Rússia Vladimir Putin falando para tropas russas na Síria © AP Photo/ Mikhail Klimentyev

O líder russo frisou também que ninguém contribui na derrota das forças terroristas na Síria como a Rússia.

"A Rússia, como já aconteceu muitas vezes na história, contribuiu como ninguém na derrota da força criminosa, que desafiou toda a civilização, bem como na eliminação do exército terrorista da ditadura bárbara, que espalhou morte e destruição, que fez desaparecer da face da terra hospitais, escolas, mesquitas, igrejas, monumentos históricos e culturais e que tentou tornar a Síria e países vizinhos em uma plataforma de agressão global", afirmou Vladimir Putin.

Além do mais, o presidente russo assinalou também que, em dois anos da operação antiterrorista síria, todo o mundo viu quão drasticamente mudaram as Forças Armadas russas.

"Vocês compreendem, sabem, sentem que em pouco mais de dois anos o exército mudou drasticamente, mudou porque as pessoas compreenderam que podem controlar a situação […] bem como entenderam o potencial do nosso equipamento bélico, como agem nossos órgãos administrativos e de abastecimento, e perceberam que nossas Forças Armadas atingiram nível avançado. O mundo inteiro viu", ressaltou Vladmir Putin.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas