Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan diz que Turquia continuará operação na Síria, pactuada com Moscou

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda-feira que seu país não interromperá sua operação militar lançada no sábado contra as milícias curdas aliadas dos Estados Unidos no norte da Síria e insistiu que esta operação está pactuada com a Rússia.
EFE

"Não vamos retroceder em Afrin. Falamos com os russos e há consenso", disse o político islamita em relação à região do norte da Síria nas mãos das milícias curdas Unidades de Proteção do Povo (YPG), que Ancara considera terroristas e aliadas da guerrilha curda da Turquia, o PKK.


Erdogan voltou a acusar os EUA de armar e apoiar as YPG, aliadas de Washington contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

"Não são honestos conosco. Continuaremos o nosso caminho no marco das conversações que mantemos com a Rússia", apontou.

"Queríamos comprar armas (com os EUA). Não nos deram e entregaram as mesmas armas a organizações terroristas. Que tipo de aliança estratégica é essa?", afirmou o presidente da T…

Putin: Rússia contribuiu como ninguém na derrota dos terroristas na Síria

O presidente da Rússia afirmou que em dois anos mais de 48 mil militares russos participaram da operação síria.


Sputnik

"Em um pouco mais de dois anos, na operação síria participaram mais de 48 mil de nossos oficiais e soldados. Trata-se de representantes de praticamente todas as profissões militares: pilotos e marinheiros, oficiais das forças especiais e da polícia militar, sapadores, exploradores, soldados do serviço de telecomunicações, especialistas da assistência médica e da logística militar, oficiais de órgãos administrativos e conselheiros militares", assinalou Vladimir Putin durante encontro com oficiais que participaram da operação antiterrorista na Síria.


Presidente russo, Vladimir Putin, discursando para as tropas russas na base aérea de Hmeymim, Síria, 11 de dezembro de 2017
Presidente da Rússia Vladimir Putin falando para tropas russas na Síria © AP Photo/ Mikhail Klimentyev

O líder russo frisou também que ninguém contribui na derrota das forças terroristas na Síria como a Rússia.

"A Rússia, como já aconteceu muitas vezes na história, contribuiu como ninguém na derrota da força criminosa, que desafiou toda a civilização, bem como na eliminação do exército terrorista da ditadura bárbara, que espalhou morte e destruição, que fez desaparecer da face da terra hospitais, escolas, mesquitas, igrejas, monumentos históricos e culturais e que tentou tornar a Síria e países vizinhos em uma plataforma de agressão global", afirmou Vladimir Putin.

Além do mais, o presidente russo assinalou também que, em dois anos da operação antiterrorista síria, todo o mundo viu quão drasticamente mudaram as Forças Armadas russas.

"Vocês compreendem, sabem, sentem que em pouco mais de dois anos o exército mudou drasticamente, mudou porque as pessoas compreenderam que podem controlar a situação […] bem como entenderam o potencial do nosso equipamento bélico, como agem nossos órgãos administrativos e de abastecimento, e perceberam que nossas Forças Armadas atingiram nível avançado. O mundo inteiro viu", ressaltou Vladmir Putin.


Postar um comentário