Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia adverte exército sírio contra entrada em Manbij

O comunicado foi divulgado poucos dias depois de pelo menos quatro soldados americanos terem sido mortos em um atentado suicida na cidade de Manbij, no norte da Síria, cuja responsabilidade foi assumida pelo Daesh (grupo terrorista proibido em Rússia e em vários outros países).
Sputnik

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores turco, Hami Aksoy, alertou as Forças Armadas do governo sírio para que não tentassem entrar na cidade de Manbij, localizada no norte da Síria.


"Às Unidades de Proteção Popular curdas na Síria (YPG) não deveria ser permitido deixar que as forças do regime [do presidente sírio Bashar Assad] entrem em Manbij", disse Aksoy em uma entrevista coletiva na sexta-feira (18). Ele também destacou que "a retirada das tropas norte-americanas da Síria não deveria ajudar os terroristas das YPG e do Partido de União Democrática curdo (PYD)".

As declarações foram feitas depois que nesta quarta-feira (16) na cidade síria de Manbij ocorreu uma explosão em u…

Pyongyang acusa Washington de querer provocar uma guerra na Coreia

A Coreia do Norte acusou, nesta quinta-feira, os Estados Unidos de quererem provocar uma guerra na península coreana, uma decisão que se reflete na escalada das manobras militares de Washington e os comentários "belicistas" das suas autoridades em direção a Pyongyang.


EFE

"Os comentários negligentes de guerra do círculo interno do presidente americano Donald Trump e os movimentos militares temerários dos EUA corroboram que o atual governo decidiu provocar uma guerra na península coreana", disse um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores norte-coreano à agência estatal "KCNA".


O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un. EFE/HOW HWEE YOUNG
O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un. EFE/HOW HWEE YOUNG

Pyongyang acredita que Washington optou pela estratégia de ir "passo a passo" para fazer explodir o conflito e que o único que pode ser perguntado agora é "quando explodirá a guerra"?

O porta-voz do Ministério da Coreia do Norte afirmou: "não desejamos uma guerra, mas não fugiremos dela" e advertiu os EUA que "pagarão caro as consequências" por provocar um conflito com sua "poderosa força nuclear, que fortalecemos constantemente".

Os comentários da Chancelaria norte-coreana acontecem no meio da realização das manobras aéreas anuais de Washington e Seul "Vigilant ACE", as maiores até o momento, que se prolongarão até sexta-feira e que representam uma nova exibição de força diante do desafio armamentístico do regime liderado por Kim Jong-un.

A tensão na península da Coreia aumentou notavelmente nos últimos meses após o último teste nuclear norte-coreano em setembro e os lançamentos de mísseis balísticos, o mais recente e mais avançado na semana passada.

O assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, o tenente-general Herbert Raymond "H.R." McMaster, falou recentemente que a possibilidade de uma guerra com a Coreia do Norte "está aumentando a cada dia", enquanto o senador republicano Lindsey Graham pediu ao Pentágono para começar a repatriar as famílias dos militares americanos, alegando que o conflito com o Norte está se aproximando.

Pyongyang rotulou hoje estes comentários de "belicistas" e disse que eles apenas podem ser interpretados "como um aviso para que estejamos preparados para uma guerra", disse o porta-voz do Ministério, acrescentando que "o mundo não deveria abrigar nenhum preconceito quando se trata de discernir quem está por trás da tensa situação".


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas