Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Vídeo mostra momento do encontro do submarino argentino Ara San Juan

Profissionais que operavam um dos veículos submarinos foram os primeiros a ver em tela as imagens da embarcação, que estava desaparecida desde 15 de novembro do ano passado. Submarino foi localizado a 907 metros de profundidade.
Por G1

Um vídeo divulgado neste domingo (18) mostra as primeiras imagens do submarino Ara San Juan, no momento em que profissionais da empresa Ocean Infinity o localizaram. O encontro foi anunciado pela Marinha da Argentina na madrugada de sábado.


No vídeo é possível ver quando a equipe que opera um dos veículos que fazia as buscas vê a embarcação pela primeira vez em uma região de cânions (espécie de rios submarinos), a 907 metros de profundidade, e a 600 km da cidade de Comodoro Rivadavia.

O Ara San Juan desapareceu em 15 de novembro de 2017, com 44 pessoas a bordo, e sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma á…

Pyongyang diz que bloqueio marítimo dos EUA será grande passo em direção à guerra nuclear

Na quinta-feira (14), a Coreia do Norte avisou que vai aplicar medidas de "autodefesa implacáveis" se os EUA reforçarem o bloqueio marítimo visto por Pyongyang como "ato de guerra", comunica a mídia estatal norte-coreana.


Sputnik

Citando o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, a agência de notícias norte-coreana KCNA disse que o bloqueio naval pode ser uma "violação arbitrária" da soberania e dignidade do país.


USS Ronald Reagan, foto de arquivo
USS Ronald Reagan © AP Photo/ Eugene Hoshiko

O presidente norte-americano, Donald Trump, está dando "passos extremamente perigosos e longos em direção à guerra nuclear" com tal bloqueio, adicionou. Não estava claro imediatamente a qual proposta a agência se referia.

"Se os EUA e os seus aliados tentarem reforçar o bloqueio marítimo contra nosso país, vamos considerá-lo como ato de guerra e responder com medidas implacáveis de autodefesa repetidamente avisadas", disse a agência.

A resposta de Pyongyang veio em meio às tensões na península coreana depois do lançamento do míssil pela Coreia do Norte no final do mês de novembro.

O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, declarou que a "comunidade internacional deve tomar medidas para aumentar segurança marítima, incluindo o direito de proibir o tráfego de produtos de ida e volta" da Coreia do Norte.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas