Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Netanyahu: Irã está criando exército contra Israel

O ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohammad Javad Zarif, acusou Israel de violar o direito internacional e avisou Tel Aviv sobre as consequências caso o país continue seguindo a mesma linha anti-Irã. Em resposta, o primeiro-ministro israelense respondeu que a Guarda Revolucionária Iraniana pretende destruir o seu país.
Sputnik

Falando durante a sessão do Estado-Maior General das Forças de Defesa Israelenses (IDF, sigla em inglês), o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, criticou as recentes declarações de Teerã em relação a Tel Aviv.


"Hoje ouvi o que disse o chanceler iraniano, acusando Israel de violar direito internacional. Trata-se do ministro do Exterior de um país que envia drones militares contra Israel e mísseis contra a Arábia Saudita. Também ouvi palavras moderadas, e há um abismo enorme entre as palavras e as ações da Guarda Revolucionária [Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica] que está construindo um exército contra Israel com o objetivo declarado…

Pyongyang diz que bloqueio marítimo dos EUA será grande passo em direção à guerra nuclear

Na quinta-feira (14), a Coreia do Norte avisou que vai aplicar medidas de "autodefesa implacáveis" se os EUA reforçarem o bloqueio marítimo visto por Pyongyang como "ato de guerra", comunica a mídia estatal norte-coreana.


Sputnik

Citando o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, a agência de notícias norte-coreana KCNA disse que o bloqueio naval pode ser uma "violação arbitrária" da soberania e dignidade do país.


USS Ronald Reagan, foto de arquivo
USS Ronald Reagan © AP Photo/ Eugene Hoshiko

O presidente norte-americano, Donald Trump, está dando "passos extremamente perigosos e longos em direção à guerra nuclear" com tal bloqueio, adicionou. Não estava claro imediatamente a qual proposta a agência se referia.

"Se os EUA e os seus aliados tentarem reforçar o bloqueio marítimo contra nosso país, vamos considerá-lo como ato de guerra e responder com medidas implacáveis de autodefesa repetidamente avisadas", disse a agência.

A resposta de Pyongyang veio em meio às tensões na península coreana depois do lançamento do míssil pela Coreia do Norte no final do mês de novembro.

O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, declarou que a "comunidade internacional deve tomar medidas para aumentar segurança marítima, incluindo o direito de proibir o tráfego de produtos de ida e volta" da Coreia do Norte.


Postar um comentário