Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia não considera Patriot como alternativa ao S-400, diz parlamentar turco

Washington está negociando com Ancara quanto à possibilidade de fornecimento dos sistemas de defesa antiaérea norte-americanos Patriot no lugar dos S-400 russos, escreveu a revista turca Sabah, citando a assessora do Secretário de Estado dos EUA em questões políticas, Tina Kaidanow.
Sputnik

Kaidanow relevou que o Departamento do Estado está negociando com a Turquia para "tentar dar a entender aos turcos o que se pode fazer em relação aos Patriot".

"Estamos preocupados que a compra dos sistemas russos de defesa antiaérea seja uma espécie de apoio para a Rússia que, pelo que vimos, não se comporta bem em várias partes do mundo, inclusive na Europa", afirmou a assessora, citada pela edição turca.

Um representante do Ministério das Relações Exteriores turco, que pediu anonimato, comentou à Sputnik Turquia sobre a situação quanto às compras dos S-400 por Ancara, bem como quanto ao diálogo com os EUA.
"A nossa postura em relação aos S-400 foi reiterada por diversas vezes…

Pyongyang diz que bloqueio marítimo dos EUA será grande passo em direção à guerra nuclear

Na quinta-feira (14), a Coreia do Norte avisou que vai aplicar medidas de "autodefesa implacáveis" se os EUA reforçarem o bloqueio marítimo visto por Pyongyang como "ato de guerra", comunica a mídia estatal norte-coreana.


Sputnik

Citando o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, a agência de notícias norte-coreana KCNA disse que o bloqueio naval pode ser uma "violação arbitrária" da soberania e dignidade do país.


USS Ronald Reagan, foto de arquivo
USS Ronald Reagan © AP Photo/ Eugene Hoshiko

O presidente norte-americano, Donald Trump, está dando "passos extremamente perigosos e longos em direção à guerra nuclear" com tal bloqueio, adicionou. Não estava claro imediatamente a qual proposta a agência se referia.

"Se os EUA e os seus aliados tentarem reforçar o bloqueio marítimo contra nosso país, vamos considerá-lo como ato de guerra e responder com medidas implacáveis de autodefesa repetidamente avisadas", disse a agência.

A resposta de Pyongyang veio em meio às tensões na península coreana depois do lançamento do míssil pela Coreia do Norte no final do mês de novembro.

O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, declarou que a "comunidade internacional deve tomar medidas para aumentar segurança marítima, incluindo o direito de proibir o tráfego de produtos de ida e volta" da Coreia do Norte.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas