Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

No decorrer da operação Ramo de Oliveira será criada zona de segurança na Síria

O primeiro-ministro turco Binali Yildirim anunciou a criação, durante a operação militar turca na província síria de Afrin, de uma faixa de segurança de 30 quilômetros.
Sputnik

O premiê, citado pela emissora Haberturk, adiantou também que a operação seria efetuada em quatro etapas.


"A operação vai decorrer em 4 etapas com o objetivo de criar uma faixa de segurança de 30 quilômetros, que será limpa de terroristas", disse o político, citado pela emissora NTV.

Yildirim adiantou que até agora não há mortos ou feridos entre o contingente turco que realiza a operação.

Mais cedo, o Estado-Maior da Turquia anunciou o início da operação "Ramo de Oliveira" contra os grupos curdos na província síria de Afrin, que começou precisamente às 14h00 locais (12h00 no horário de Brasília). De acordo com a entidade militar, a operação conta com a participação de 72 aviões, enquanto 108 dos 113 alvos planejados já foram eliminados. Há poucos dias, o premiê turco, Binali Yildirim, havia avanç…

Pyongyang diz que bloqueio marítimo dos EUA será grande passo em direção à guerra nuclear

Na quinta-feira (14), a Coreia do Norte avisou que vai aplicar medidas de "autodefesa implacáveis" se os EUA reforçarem o bloqueio marítimo visto por Pyongyang como "ato de guerra", comunica a mídia estatal norte-coreana.


Sputnik

Citando o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, a agência de notícias norte-coreana KCNA disse que o bloqueio naval pode ser uma "violação arbitrária" da soberania e dignidade do país.


USS Ronald Reagan, foto de arquivo
USS Ronald Reagan © AP Photo/ Eugene Hoshiko

O presidente norte-americano, Donald Trump, está dando "passos extremamente perigosos e longos em direção à guerra nuclear" com tal bloqueio, adicionou. Não estava claro imediatamente a qual proposta a agência se referia.

"Se os EUA e os seus aliados tentarem reforçar o bloqueio marítimo contra nosso país, vamos considerá-lo como ato de guerra e responder com medidas implacáveis de autodefesa repetidamente avisadas", disse a agência.

A resposta de Pyongyang veio em meio às tensões na península coreana depois do lançamento do míssil pela Coreia do Norte no final do mês de novembro.

O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, declarou que a "comunidade internacional deve tomar medidas para aumentar segurança marítima, incluindo o direito de proibir o tráfego de produtos de ida e volta" da Coreia do Norte.


Postar um comentário