Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

Rússia: já não há pretextos formais para presença militar dos EUA na Síria

O Ministério da Defesa russo afirmou que o Pentágono engana opinião pública sobre a Síria e desconhece a situação real no país.


Sputnik

"O Pentágono engana deliberadamente a comunidade internacional e a opinião pública norte-americana, incluindo o comandante-em-chefe [Trump], porque já não há razões nem pretextos formais para a presença de tropas norte-americanas na Síria", afirmou representante oficial do Ministério da Defesa russo, major-general Igor Konashenkov.


Militares americanos e rebeldes do Maghaweer al-Thawra, apoiado pelos EUA, em Al Tanf, no sul da Síria
Tropas dos EUA atuando com terroristas do Maghaweer al-Thawra na Síria © AP Photo/ Hammurabi's Justice News

Foi assim que ele comentou a declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, de que os Estados Unidos teriam derrotado no Iraque e na Síria o Daesh (organização terrorista proibida na Rússia).

Konashenkov também criticou o comentário do seu homólogo norte-americano, Adrian Rankine-Galloway, de que o Pentágono não teria detectado nenhuma retirada significativa das forças de combate russas da Síria.

"Declarações dos representantes do Pentágono sobre a retirada ou não retirada das tropas russas não apenas revelam um desejo mal disfarçado de que não estejamos lá, mas também o desconhecimento da situação real sobre o terreno", afirmou ele.

O representante oficial do Ministério da Defesa russo sublinhou que "é problema do Pentágono se os canais de televisão norte-americanos não mostram o retorno dos aviões, sapadores, médicos e policiais militares russos da Síria", recomendando que assistam a canais russos ou europeus.

Em 11 de dezembro de 2017, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenou o início da retirada das tropas russas da Síria. Moscou manterá a presença na base aérea de Hmeymim e no porto de Tartus.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas