Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Mais 2 palestinos morrem após ataque israelense na Faixa de Gaza

Total de mortos chega a 4 após Israel atacar a Faixa de Gaza e atingir militantes do Hamas; confrontos começaram após Donald Trump reconhecer Jerusalém como capital israelense.
Por G1

Mais dois palestinos morreram neste sábado (9) em um ataque aéreo israelense na Faixa de Gaza contra alvos do movimento palestino Hamas. A Defesa de Israel disse que o bombardeio foi uma resposta a um foguete lançado pelo Hamas na sexta-feira. Os confrontos começaram após o presidente norte-americano, Donald Trump, reconhecer Jerusalém como a capital israelense nesta semana.

"Na manhã de sábado, equipes de resgate encontraram os corpos de dois palestinos que morreram em ataques aéreos israelenses na noite passada no norte da Faixa de Gaza", disse o porta-voz Ashraf Al Qedra.

Com essas duas mortes, subiu para quatro o número de palestinos mortos desde a última sexta-feira (8). Já são mais de 300 feridos desde que o grupo islâmico voltou a atacar Israel, após a decisão do governo americano, tomada na…

Rússia: resolução militar da crise norte-coreana 'não será surpresa para nós'

Rússia está analisando as consequências de uma possível resolução militar da crise coreana e está se preparando para isto, de modo que o desenvolvimento da situação, não será nenhuma surpresa para Moscou.


Sputnik

Devido às tensões em nível mundial, que aumentaram ainda mais após o último lançamento de míssil balístico intercontinental norte-coreano, o secretário do Conselho de Segurança da Rússia, Nikolai Patrushev, revela qual é a posição da Rússia quanto ao assunto em questão.


Lançamento do míssil balístico intercontinental Hwasong-15 que teve lugar na noite de 28 para 29 de novembro
Lançamento do míssil norte-coreano Hwasong-15 © REUTERS/ KCNA

Quanto à medida que Rússia irá tomar em caso de resolução militar do problema coreano, Patrushev explicou que Moscou considera todas as opções possíveis.

"Estamos analisando-a [possível resolução militar] e preparando-nos. Não será uma surpresa para nós".

Ao mesmo tempo, ele destacou que existe uma ameaça à segurança nacional da Rússia por parte da atividade norte-coreana.

"Encontramo-nos quase na fronteira com eles [Coreia do Norte]. Portanto, temos interesse em encontrar solução politica e diplomática [da crise]", declarou.

Na noite de 28 para 29 de novembro, a Coreia do Norte lançou o míssil Hwasong-15, que percorreu uma distância de 950 quilômetros e caiu a 210 quilômetros do litoral do Japão.

Pyongyang afirmou que, a partir de agora, já possui um meio capaz de lançar uma carga nuclear até qualquer ponto dos EUA. Muitos países, incluindo a Rússia, condenaram as ações da Coreia do Norte.

Neste contexto o presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou que Washington aplicará novas restrições a Pyongyang em resposta a mais um teste de míssil. Os EUA também apelaram ao bloqueio da Coreia do Norte.


Postar um comentário