Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Helicópteros americanos estariam resgatando terroristas do Daesh de prisão síria

Os helicópteros norte-americanos tiraram terroristas do Daesh de uma prisão na cidade síria de Al-Hasakah, informou uma fonte local à Sputnik.
Sputnik

"Habitantes locais viram do telhado helicópteros estadunidenses aterrissando no território de uma prisão local, controlada pelos curdos, para tirar de lá terroristas do Daesh", afirmou a fonte — que preferiu não ser identificada — em Al-Hasakah à Sputnik Árabe.


Além disso, há informações que os militares norte-americanos estariam trazendo para a prisão várias munições, porque planejam criar no lugar uma base.

Anteriormente, a mídia iraquiana comunicou que helicópteros dos EUA tinham transportado membros do grupo Daesh (proibido na Rússia) da prisão central de Al-Hasakah para sua base perto do povoado Abu Hajar, no leste da Síria.

De acordo com fontes locais, na prisão de Al-Hasakah, muito bem fortificada, estariam encarcerados cerca de 100 terroristas, a maioria de cidadania estrangeira. Especialistas sírios acham que são os mesmos…

Tripulação do submarino San Juan reportou sobre falha ainda em setembro

A tripulação do submarino argentino ARA San Juan reportou sobre uma falha na embarcação ainda em setembro, comunica a edição Clarín citando um relatório da Marinha da Argentina.


Sputnik

De acordo com a edição, em setembro deste ano, a tripulação de San Juan informou sobre uma falha no snorkel (dispositivo que permite a renovação de ar nos submarinos, quando em submersão), o que levou à entrada de água na embarcação. Contudo, nesse mês foi evitada a inundação dos compartimentos importantes. Segundo o relatório interno da base naval de Puerto Belgrano, em 2018 o submarino devia ser reparado. Porém, de acordo com Clarín, este relatório não foi estudado pelas chefias da Marinha Argentina.


Tripulante do submarino militar argentino ARA San Juan no porto de Buenos Aires, Argentina (foto de arquivo)
Tripulante do submarino argentino ARA San Juan © REUTERS/ Armada Argentina

O ministro da Defesa argentino, Oscar Aguad, ficou sabendo da existência do relatório há somente alguns dias atrás, no quadro da investigação em andamento. Enquanto isso, depois de comunicação sobre a falha, o submarino foi ao mar várias vezes, não tendo sido registradas quaisquer outras falhas.

Anteriormente, o representante oficial da Marinha argentina, Enrique Balbi comunicou que especialistas detectaram os locais no oceano onde o submarino desaparecido poderia estar.

O submarino da Marinha da Argentina ARA San Juan desapareceu em 15 de novembro. Durante a última ligação, a tripulação do navio informou sobre um acidente. A bordo se encontravam 44 tripulantes, inclusive a primeira submarinista argentina, Eliana Krawczyk. A embarcação foi construída na Alemanha e começou a fazer parte da Marinha da Argentina em 1985.

Na quinta-feira (30), quinze dias após o desaparecimento do submarino, a Marinha da Argentina decidiu interromper as buscas por sobreviventes.


Postar um comentário