Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Novas incursões sauditas matam 5 civis iemenitas em Hudaydah

Pelo menos cinco civis foram mortos e vários outros ficaram feridos quando caças da Arábia Saudita realizaram uma série de ataques aéreos contra um bairro residencial na província costeira de Hudaydah, no Iêmen, enquanto o regime de Riad continua com sua campanha de bombardeio contra seu vizinho empobrecido.
Pars Today

Fontes locais, falando sob condição de anonimato, disseram à rede de televisão al-Masirah que aviões militares sauditas lançaram três ataques aéreos contra uma área no distrito de al-Hali, localizada a 150 quilômetros a sudoeste da capital Sana, na quinta-feira. tarde.


As fontes acrescentaram que cinco pessoas perderam a vida nos ataques, enquanto outras sofreram ferimentos.

Durante o dia, aviões de guerra sauditas atingiram o aeroporto de Sa'ada e a base militar de Kahlan, situada a 3 quilômetros a nordeste da cidade montanhosa do noroeste de Saada, com bombas de fragmentação.

Analista explica por que avião de patrulha dos EUA realizou voo perto da Crimeia

O diretor do Centro da Conjuntura Estratégica, Ivan Konovalov, opinou em entrevista ao RT quanto às metas do avião de patrulha norte-americano, Boeing P-8A Poseidon, ao voar perto do litoral da Crimeia.


Sputnik

"O objetivo é evidente, sendo o reconhecimento da moderna infraestrutura militar da Crimeia. O fato dela ser potente, também é evidente, já que as autoridades russas não a disfarçam", afirmou ele.


Cais de Lenin na cidade de Yalta, na Crimeia
Yalta, Crimeia © Sputnik/ Aleksei Malgavko

De acordo com o especialista, a península foi "reforçada e se tornou uma fortaleza", e em seu território se encontra um grupo de tropas contando com todos os componentes: terrestre, antiaéreo, antimíssil.

Anteriormente, o portal Mil Radar, monitorando o deslocamento da aviação militar, informou em sua conta do Twitter que o Boeing P-8A Poseidon estava realizando uma operação de vigilância sobre águas do mar Negro, perto do litoral da Crimeia. O avião decolou da base norte-americana de Sigonella, situada na ilha italiana de Sicília.


Postar um comentário