Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Apesar dos avisos da Turquia, EUA não planejam sair da cidade síria de Manbij

Os EUA não planejam retirar suas tropas da cidade síria de Manbij apesar das advertências da Turquia, declarou na segunda-feira (29) o chefe do Comando Central dos EUA, general Joseph Votel.


Sputnik

"Retirar as forças norte-americanas de Manbij não é algo que procuramos fazer", comunicou o canal CNN, citando Votel.


Patrulha dos EUA nos arredores de Manbij, Síria
Tropas dos EUA em Manbij, Síria © AP Photo/ Sem credenciais

Assim, as tropas norte-americanas correm risco de ser apanhadas pelo progresso militar da Turquia no norte da Síria se Ancara cumprir sua promessa de avançar na área.

Mais anteriormente neste mês, o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, declarou que Ancara não vai limitar medidas de precaução contra as Unidades de Proteção Popular (YPG) ao distrito de Afrin síria e que pode vir a se mover a Manbij, também na província de Aleppo.

O ministro das Relações Exteriores turco declarou que, em comparação com as promessas dos EUA, as cidades de Manbij e Raqqa não foram governadas por conselhos locais depois de terem sido libertas do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia), mas ficaram nas mãos do Partido da União Democrática (PYD), considerado afiliação do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que consequentemente é designado como organização terrorista pela Turquia.

Após a declaração de Cavusoglu, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, declarou que as forças turcas vão limpar completamente a região dos terroristas, começando com a cidade síria de Manbij e ao longo de toda a fronteira turco-síria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas