Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Israel realiza novos bombardeios na Faixa de Gaza após queda de foguete

Aviação israelense atacou instalações subterrâneas em Gaza. Foguete disparado de Gaza caiu em cidade israelense sem causar vítimas.
France Presse

Aviões de guerra israelenses realizaram novos ataques na madrugada desta segunda-feira (19) na Faixa de Gaza, onde a tensão foi reduzida, mas sem dissipar todo o fantasma de um novo confronto.

A aviação israelense atacou instalações subterrâneas no sul do território do movimento palestino Hamas, afirmou em um comunicado.

Israel respondeu assim ao disparo de um foguete lançado no domingo à noite a partir da Faixa de Gaza - o segundo em 24 horas - e que caiu sem causar vítimas nas proximidades de Sderot, cidade israelense perto do enclave palestino.

O exército de Israel manteve sua política de resposta sistemática a qualquer intervenção hostil a partir dos territórios palestinos, onde travou três guerras contra o Hamas e grupos armados palestinos aliados desde 2008.

Israel usará "todos os meios à sua disposição" para garantir a segurança d…

Após incidente, EUA pedem que Rússia não se aproxime de suas aeronaves

Os Estados Unidos pediram à Rússia que evitem se aproximar das aeronaves norte-americanas para evitar situações perigosas, disse a porta-voz do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Heather Nauert.


Sputnik

A declaração vem logo após um incidente ocorrido na segunda-feira (29) sobre o Mar Negro, quando um avião russo interceptou uma aeronave norte-americana, causando tensões.


Caças Su-27 da Força Aérea russa
Sukhoi Su-27 © Sputnik/ Anton Denisov

​De acordo com Nauert, um jato Su-27 russo "se envolveu em uma interação insegura" com um avião do EP-3 dos EUA, quando este sobrevoava o espaço aéreo internacional do Mar Negro. A porta-voz expressou profunda preocupação com o incidente.

"Enquanto a aeronave dos EUA estava operando de acordo com o direito internacional, o lado russo violava flagrantemente os acordos existentes e o direito internacional, neste caso o Acordo de 1972 para a Prevenção de Incidentes Sobre o Alto Mar (INCSEA, na sigla em inglês) […]. Pedimos à Rússia para cessar essas ações inseguras que aumentam o risco de erros de cálculo, o perigo para a tripulação aérea em ambos os lados e as colisões no ar", disse Nauert na segunda-feira (29).

Ela chamou o incidente "o exemplo mais recente de atividades militares russas desconsiderando as normas e acordos internacionais".


Postar um comentário