Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan: exército sírio parou de avançar para Afrin

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou que as tropas do governo sírio deixaram de avançar para a cidade de Afrin "após consultas", realizadas pelo líder turco nesta segunda-feira.
Sputnik

As tropas do governo sírio "foram realmente detidas ontem (segunda-feira)", afirmou Erdogan, segundo a agência de notícias Anadolu. Segundo o chefe de Estado, isso aconteceu "após consultas". No entanto, Erdogan não especificou à que consultas estaria se referindo.


Nesta segunda-feira, o líder turco discutiu a situação em Afrin durante conversa telefônica com seus homólogos russo e iraniano, Vladimir Putin e Hassan Rouhani.

Erdogan também afirmou que as milícias pró-governo que tentaram entrar em Afrin nesta terça-feira, e que foram repelidas pelas tropas turcas, o fizeram por iniciativa própria.

"A milícia síria decidiu entrar em Afrin por conta própria. Isso é inaceitável e não ficará sem resposta", alertou Erdogan.

Anteriormente, a imprensa infor…

Assad: 'Operação turca em Afrin é parte da estratégia para apoiar os terroristas'

O comunicado do líder sírio veio na sequência de relatos sobre a entrada de tanques turcos na província síria de Afrin, particularmente em apoio à ofensiva do Exército Livre da Síria, grupo de oposição ao governo sírio, e contra as posições das forças de autodefesa curdas.


Sputnik

De acordo com Bashar Assad, a agressão turca contra Afrin está relacionada com a política turca conduzida desde o início da crise na Síria que, segundo ele, se baseia no apoio prestado aos agrupamentos terroristas.


O presidente sírio Bashar Assad durante um discurso em frente dos diplomatas, em 20 de agosto de 2017
Presidente sírio Bashar Assad © AP Photo/ Página do Facebook da Presidência da Síria

"O ato de agressão brutal da Turquia contra a cidade síria de Afrin não pode ser separado da política que o regime turco tem seguido desde o primeiro dia da crise na Síria, que se baseia principalmente no apoio do terrorismo e de agrupamentos terroristas de nomes diferentes", disse o presidente, citado pela agência SANA.

Mais cedo, o Ministério das Relações Exteriores e Migração sírio anunciou que o país condena categoricamente a agressão brutal da Turquia contra a cidade de Afrin, apelando à comunidade internacional para tomar medidas imediatas com o fim de fazer parar esta campanha.

No comunicado se adianta que a Síria refuta as declarações fictícias do regime turco de que este alegadamente teria avisado Damasco do início da operação. Estas declarações, para a Síria, "fazem parte da série de mentiras que já nos acostumamos a ouvir".

A declaração foi feita no decorrer da reunião com uma delegação do Conselho para as Relações Exteriores Estratégicas do Irã.


Postar um comentário