Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Ataque da coalizão árabe deixa vários mortos e feridos no Iêmen

Pelo menos 17 pessoas morreram e mais de 20 ficaram feridas após um bombardeio da coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita no Iêmen, segundo informou uma fonte local à Sputnik.


Sputnik

O ataque aéreo teve como alvo o distrito de Al-Qafla, no território de Amran.


Área destruída por ataques da coalizão internacional liderada pela Arábia Saudita no Iêmen (arquivo)
Área destruída pelo ataque da coalizão liderada pela Arábia Saudita © AP Photo/ Hani Mohammed

"Os aviões da coalizão bombardearam uma ponte e um mercado durante o dia, e, mais tarde, lançaram outro ataque contra a região, quando os habitantes locais tentavam ajudar as vítimas, o que resultou na morte de 17 pessoas e em mais de 20 feridos", afirmou a fonte.

O Iêmen vive em estado de conflito armado desde 2014, com os rebeldes houthis combatendo as forças leais ao presidente Abd Rabbuh Mansur. Desde março de 2015, uma coalizão internacional liderada por Riad vem bombardeando posições rebeldes no país vizinho. Segundo a ONU, mais de 10 mil pessoas já morreram por conta dos conflitos.


Postar um comentário