Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

'Ataque de drones na Síria é nova página na história do terrorismo internacional'

O especialista militar russo, Igor Korotchenko, disse na entrevista à Sputnik que o ataque de drones contra as bases militares russas em Hmeymim e Tartus são uma nova página na história do terrorismo internacional.


Sputnik

Segundo os dados do Ministério da Defesa da Rússia, o ataque foi suspenso na madrugada de 6 de janeiro, quando foram detectados a uma longa distância e derrubados 13 alvos aéreos de pequeno tamanho. Os militares notaram que a técnica usada no ataque "somente poderia ser recebida de países que possuem altas capacidades tecnológicas".


Membro das Forças Democráticas da Síria inspeciona drone derrubado alegadamente pertencente ao grupo terrorista Daesh (foto de arquivo)
Terrorista das Forças Democráticas da Síria, apoiadas pelos EUA, observa drone abatido © AFP 2018/ DELIL SOULEIMAN

Na Síria, os drones foram lançados a uma grande distância, "agora é uma ameaça real com que todas as forças especiais do mundo devem lidar, é um novo desafio lançado pelo terrorismo mundial a todos os Estados", disse Korotchenko.

Ele adicionou que os alvos de tais ataques terroristas podem ser não apenas militares, mas também civis em várias partes do mundo. Contudo, o especialista duvida que os terroristas tenham dominado a tecnologia de produção e uso de drones sozinhos.

Na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, outro analista militar, Andrei Koshkin expressou a opinião de que é necessário estudar a experiência da Rússia em repelir os ataques terroristas deste tipo.

"Na Síria, encontramos novos meios de efetuar ataques terroristas contra instalações militares e governamentais. Claro que foram repelidos com sucesso graças à estrutura segura de nossa defesa antiaérea."

Ele adicionou que é necessário perceber que se pode cometer ataques de drones equipados com explosivos feitos à mão. Por isso, acha crucial espalhar e aplicar a experiência da Rússia, em especial na Europa.


Comentários

Postagens mais visitadas