Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Governo saudita diz que rei e príncipe herdeiro são 'linha vermelha'

O ministro de Relações Exteriores saudita, Adel al-Jubeir, afirmou que o rei Salman bin Abdulaziz e o príncipe Mohammed Bin Salman são uma "linha vermelha" para a Arábia Saudita e rejeitou o suposto envolvimento do herdeiro da coroa saudita no assassinato do jornalista Jamal Khashoggi.
EFE

Riad - "A liderança do reino da Arábia Saudita representada nas guardas das duas mesquitas sagradas (o rei) e o príncipe herdeiro são uma linha vermelha e não permitiremos tentativa algum de atacar nossos líderes", afirmou Al-Jubeir em entrevista publicada nesta terça-feira o jornal árabe internacional "Asharq Al-Awsat".


"Atacar os líderes do reino é tocar em todos os cidadãos", acrescentou.

O ministro fazia alusão às versões que vinculam o príncipe Mohammed com a morte do jornalista no consulado saudita em Istambul em 2 de outubro.

Veículos de imprensa americanos informaram na sexta-feira que a CIA tinha concluído que o herdeiro saudita ordenou o assassinato de Kh…

Ataque suicida no posto de controle militar no Iêmen deixa 11 mortos

Atentado com carro-bomba, ocorrido no posto de controle militar no sudeste do Iêmen, deixou 11 mortos, informa a agência Reuters citando oficiais e residentes locais.


Sputnik

A Reuters comunica, citando oficiais e residentes locais, que atiradores abriram fogo depois que um carro suspeito carregado com explosivos entrou no posto de controle localizado no nordeste de Ataq, capital da província iemenita de Shabwa.


Militantes do Movimento do Sul do Iêmen
Militantes do Movimento do Sul do Iêmen © AFP 2018/ SALEH AL-OBEIDI

No momento, nenhuma outra informação foi divulgada.

No domingo (28), foram iniciados combates entre os militantes do Movimento do Sul do Iêmen e as forças governamentais do presidente Abd Rabbuh Mansur Hadi, apoiadas pela Arábia Saudita.

As tensões aumentaram entre separatistas e forças governamentais, após o fracasso de Hadi em atender a demanda do Movimento no governo para demitir-se no domingo.

Segundo médicos locais, pelo menos 120 pessoas ficaram feridas em confrontos e 20 morreram.

Os separatistas criaram seu próprio Conselho de Transição do Sul em maio de 2017. O ex-prefeito da província Aidarus al-Zubeydi, que foi demitido pelo presidente Abd Rabbuh Mansur Hadi, lidera o movimento.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas