Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Avião de reconhecimento dos EUA sobrevoava bases russas na Síria durante ataque de drones

Uma aeronave de reconhecimento norte-americana estava sobrevoando a região de Hmeymim, no momento do ataque de drones à base aérea russa na Síria, informou o ministério da Defesa da Rússia nesta terça-feira.


Sputnik

Uma aeronave de reconhecimento P-8 Poseidon permaneceu na região entre as bases russas de Tartus e Hmeymim por mais de quatro horas e a uma altura de oito mil metros. O órgão russo classificou essa presença de "uma estranha coincidência" e colocou em dúvida as afirmativas do Pentágono de que as tecnologias, usadas no ataque contra a base russa em 6 de janeiro, seriam "de fácil acesso no mercado".


Avião P-8 Poseidon da Marinha dos EUA
P-8 Poseidon da US Navy © AP Photo/ Greg Wood

O ministério da Defesa da Rússia destacou que, "para programar os controles de navegação de um drone do tipo avião, bem como o disparo de munições segundo o sistema GPS" é necessário possuir conhecimentos "de uma boa escola de engenharia de um dos países desenvolvidos".

"Além disso, não é todo mundo que consegue obter coordenadas precisas com base em dados de inteligência espacial", explicou o comunicado das autoridades russas.

Na noite de 6 de janeiro, as bases militares de Hmeymim e de Tartus, na Síria, ambas sob administração russa, repeliram um ataque massivo de drones contra as suas instalações.


Comentários

Postagens mais visitadas