Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pentágono nega que avião russo tenha 'expulsado' bombardeiro americano do Báltico

O Pentágono não concorda que o bombardeiro estratégico norte-americano B-52H tenha sido expulso por um caça russo Su-27 sobre o mar Báltico, comunicou à Sputnik o representante da entidade militar americana Eric Pahon.
Sputnik

"O avião da Força Aérea dos EUA B-52H realizava operações rotineiras no espaço aéreo internacional segundo o princípio da liberdade de navegação e de voo. Em 20 de março, o B-52H teve um encontro ordinário com um Su-27 russo que efetuava operações sobre o mar Báltico", esclareceu o porta-voz do Pentágono.

Pahon acrescentou que o Su-27 não expulsou o B-52H, que conseguiu completar a sua missão.

Na véspera, o Ministério da Defesa da Rússia publicou um vídeo de caças russos escoltando um bombardeiro estratégico americano Boeing B-52H sobre as águas neutras do mar Báltico. Segundo o comunicado, dois caças Su-27 levantaram voo para identificar e acompanhar a aeronave dos EUA.

De acordo com o Ministério, após o B-52H ter mudado de trajetória, distanciando-se da f…

Bases russas não correm risco de ser detectadas por aplicativos, assegura especialista

Não é possível encontrar bases russas usando os aplicativos de fitness, elas não correm nenhum perigo, declarou à Sputnik o analista militar Viktor Murakhovsky.


Sputnik

O jornal The Verge havia informado mais cedo que os dados das bases militares e outras estruturas potencialmente secretas em todo o mundo surgiram em acesso aberto na Internet no mapa interativo Global Heat Maps do aplicativo esportivo para smartphones Strava, que mostra onde estão os usuários. Como destaca a matéria do The Verge o aplicativo mostra também a deslocação dos militares norte-americanos na Síria, Iraque e outras áreas.


Militares na base russa na Abkházia durante exercícios antiterroristas
Militares russos na base militar de Abkházia © Sputnik/ Ilona Hvartskiya

"Isto de jeito nenhum pode afetar a segurança das bases russas, pois o uso de tais dispositivos é proibido, não apenas aplicativos, mas o uso de smartphones comerciais é proibido. Não se usam estas coisas durante o serviço, operações ou treinamentos", destacou o analista.

As bases norte-americanas que já foram detectadas através do aplicativo podem se tornar alvo de novos ataques terroristas, opina Murakhovsky.

"Em primeiro lugar, isto pode alimentar ataques terroristas. [As bases] viram alvos para ataques terroristas, especialmente nas áreas onde estão tropas norte-americanas. Estou falando do Afeganistão, Iraque, Síria…tal desorganização nos surpreende: como é possível não se cumprirem as exigências de segurança cibernética e radioeletrônica?", pergunta o especialista russo.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas