Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Helicópteros americanos estariam resgatando terroristas do Daesh de prisão síria

Os helicópteros norte-americanos tiraram terroristas do Daesh de uma prisão na cidade síria de Al-Hasakah, informou uma fonte local à Sputnik.
Sputnik

"Habitantes locais viram do telhado helicópteros estadunidenses aterrissando no território de uma prisão local, controlada pelos curdos, para tirar de lá terroristas do Daesh", afirmou a fonte — que preferiu não ser identificada — em Al-Hasakah à Sputnik Árabe.


Além disso, há informações que os militares norte-americanos estariam trazendo para a prisão várias munições, porque planejam criar no lugar uma base.

Anteriormente, a mídia iraquiana comunicou que helicópteros dos EUA tinham transportado membros do grupo Daesh (proibido na Rússia) da prisão central de Al-Hasakah para sua base perto do povoado Abu Hajar, no leste da Síria.

De acordo com fontes locais, na prisão de Al-Hasakah, muito bem fortificada, estariam encarcerados cerca de 100 terroristas, a maioria de cidadania estrangeira. Especialistas sírios acham que são os mesmos…

Chanceler turco: é cedo para discutir com EUA zona de segurança no norte da Síria

O ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, qualificou de "precipitada" a iniciativa norte-americana de criar uma zona de segurança no norte da Síria, junto à fronteira com a Turquia.


Sputnik

"Tem havido um declínio de confiança recíproca [entre a Turquia e os EUA]. Até que esta seja recuperada, até que certos passos sejam tomados para restabelecê-la, acho incorreto discutir sobre uma zona de segurança", disse o ministro turco, citado pelo jornal Yeni Safak.


Tanque turco durante uma operação perto da fronteira com a Síria
Tanque turco na fronteira com a Síria © AP Photo/ IHA via AP

Ontem (24), o chanceler turco revelou que Washington havia proposto a Ancara estabelecer uma zona de segurança de 30 quilômetros no norte da Síria para evitar confrontos entre as forças turcas e as norte-americanas.

Em 20 de janeiro, Ancara e seus aliados do Exército Livre da Síria lançaram a operação Ramo de Oliveira contra os grupos armados curdos e organizações terroristas na cidade de Afrin (província de Aleppo).
A operação está sendo realizada contra os grupos jihadistas e as Unidades de Proteção Popular (YPG).

Para Turquia, as YPG são uma extensão do Partido dos Trabalhadores do Curdistão, proibido no país por ser considerado uma organização terrorista.

Damasco condenou a operação turca em Afrin, sublinhando que a região é parte inalienável do território sírio.

A Casa Branca, por sua vez, comentando a recente conversa telefônica entre Donald Trump e Recep Tayyip Erdogan, afirmou que o líder estadunidense solicitou que as autoridades turcas "limitassem suas atividades militares em Afrin". No entanto, os turcos contestaram a veracidade do comunicado.


Postar um comentário