Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Chanceler turco: é cedo para discutir com EUA zona de segurança no norte da Síria

O ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, qualificou de "precipitada" a iniciativa norte-americana de criar uma zona de segurança no norte da Síria, junto à fronteira com a Turquia.


Sputnik

"Tem havido um declínio de confiança recíproca [entre a Turquia e os EUA]. Até que esta seja recuperada, até que certos passos sejam tomados para restabelecê-la, acho incorreto discutir sobre uma zona de segurança", disse o ministro turco, citado pelo jornal Yeni Safak.


Tanque turco durante uma operação perto da fronteira com a Síria
Tanque turco na fronteira com a Síria © AP Photo/ IHA via AP

Ontem (24), o chanceler turco revelou que Washington havia proposto a Ancara estabelecer uma zona de segurança de 30 quilômetros no norte da Síria para evitar confrontos entre as forças turcas e as norte-americanas.

Em 20 de janeiro, Ancara e seus aliados do Exército Livre da Síria lançaram a operação Ramo de Oliveira contra os grupos armados curdos e organizações terroristas na cidade de Afrin (província de Aleppo).
A operação está sendo realizada contra os grupos jihadistas e as Unidades de Proteção Popular (YPG).

Para Turquia, as YPG são uma extensão do Partido dos Trabalhadores do Curdistão, proibido no país por ser considerado uma organização terrorista.

Damasco condenou a operação turca em Afrin, sublinhando que a região é parte inalienável do território sírio.

A Casa Branca, por sua vez, comentando a recente conversa telefônica entre Donald Trump e Recep Tayyip Erdogan, afirmou que o líder estadunidense solicitou que as autoridades turcas "limitassem suas atividades militares em Afrin". No entanto, os turcos contestaram a veracidade do comunicado.


Comentários

Postagens mais visitadas