Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Su-57 russo supera caças de 5ª geração F-22 e F-35 dos EUA, diz piloto militar

O uso de caças F-22 pela Força Aérea dos EUA na Síria privou este modelo de suas vantagens sobre aeronaves russas, segundo a mídia norte-americana. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, um piloto militar russo comentou a situação.
Sputnik

A utilização de caças norte-americanos F-22 na Síria privou os EUA das vantagens destes caças em relação aos caças russos, escreveu o jornal Military Watch. Segundo Veralinn Jamieson, tenente-general da Força Aérea dos EUA, os céus do Iraque e da Síria se tornaram "armazém de informações" para russos sobre atuação de caças estadunidenses durante operações.

Segundo o autor do artigo, os russos tiveram bastante tempo para analisar e testar a tecnologia de furtividade dos F-22, além de terem coletado dados sobre o uso da aeronave e encontrado meios de combatê-la. Além disso, a Rússia poderá usar essas tecnologias na fabricação de suas aeronaves.

O artigo enfatiza que os radares dos sistemas de mísseis antiaéreos S-300 e S-400 da Rússia …

Chefe da OTAN inclui 'Rússia impertinente' na lista das principais ameaças mundiais

Para secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, Rússia é uma das ameaças mundiais.


Sputnik

"Estamos enfrentando a situação mais difícil e imprevisível na área de segurança dos últimos 25 anos", disse o chefe da Aliança citado pelo portal sérvio Politika.


Soldados e bandeira da OTAN
Militares da OTAN © REUTERS/ Ints Kalnins

Além da "Rússia impertinente" que, segundo Stoltenberg, "viola as fronteiras internacionais", na lista entrou a instabilidade no Oriente Médio e na África do Norte, bem como o programa nuclear da Coreia do Norte. Os ataques cibernéticos e o terrorismo também foram mencionados.

Mais cedo Stoltenberg havia declarado que a Aliança Atlântica não quer uma nova guerra fria com Rússia e está a favor do diálogo político, apesar de Rússia ter virado "mais autoconfiante".

Presidente russo, Vladimir Putin, comentando as várias anteriores declarações sobre a "ameaça russa", apelou aos países europeus para não inventarem mitos.

Postar um comentário