Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Su-57 russo supera caças de 5ª geração F-22 e F-35 dos EUA, diz piloto militar

O uso de caças F-22 pela Força Aérea dos EUA na Síria privou este modelo de suas vantagens sobre aeronaves russas, segundo a mídia norte-americana. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, um piloto militar russo comentou a situação.
Sputnik

A utilização de caças norte-americanos F-22 na Síria privou os EUA das vantagens destes caças em relação aos caças russos, escreveu o jornal Military Watch. Segundo Veralinn Jamieson, tenente-general da Força Aérea dos EUA, os céus do Iraque e da Síria se tornaram "armazém de informações" para russos sobre atuação de caças estadunidenses durante operações.

Segundo o autor do artigo, os russos tiveram bastante tempo para analisar e testar a tecnologia de furtividade dos F-22, além de terem coletado dados sobre o uso da aeronave e encontrado meios de combatê-la. Além disso, a Rússia poderá usar essas tecnologias na fabricação de suas aeronaves.

O artigo enfatiza que os radares dos sistemas de mísseis antiaéreos S-300 e S-400 da Rússia …

Chefe do Estado-Maior britânico reconhece supremacia do exército da Rússia

As Forças Armadas do Reino Unido estão atrasadas em relação ao exército russo. Foi isso que afirmou o chefe do Estado-Maior britânico, Nick Carter, nesta segunda-feira (22), noticia o The Telegraph.


Sputnik

O general assinalou a séria ameaça proveniente dos mísseis de cruzeiro russos, que têm sido utilizados na Síria. Londres não possui defesa contra estas armas.


Soldado britânico durante as manobras Saber Strike na Lituânia
Militar britânico em exercício na Lituânia © Foto: Staff Sgt. Brett Miller/U.S. Army National Guard

Carter reconhece que, lamentavelmente, os gastos com os projetos de defesa diminuíram, e acredita que nos últimos anos a Rússia tenha conseguido demonstrar um alto nível de capacidade de combate, algo a que o Reino Unido dificilmente consegue corresponder.

Além disso, a edição comunica, citando suas fontes, que os militares de alto escalão britânicos estão preocupados com o domínio russo nas áreas de artilharia, guerra radioeletrónica, bem como nas tecnologias informáticas.

Quanto aos EUA, o Pentágono qualificou, em sua nova estratégia, a concorrência com a Rússia e a China como as suas prioridades e exigiu alocar meios adicionais para o confronto estratégico com estes países. O Departamento de Defesa norte-americano acredita que Moscou e Pequim representam um perigo para segurança e prosperidade dos EUA.


Postar um comentário