Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Chefe do Estado-Maior britânico reconhece supremacia do exército da Rússia

As Forças Armadas do Reino Unido estão atrasadas em relação ao exército russo. Foi isso que afirmou o chefe do Estado-Maior britânico, Nick Carter, nesta segunda-feira (22), noticia o The Telegraph.


Sputnik

O general assinalou a séria ameaça proveniente dos mísseis de cruzeiro russos, que têm sido utilizados na Síria. Londres não possui defesa contra estas armas.


Soldado britânico durante as manobras Saber Strike na Lituânia
Militar britânico em exercício na Lituânia © Foto: Staff Sgt. Brett Miller/U.S. Army National Guard

Carter reconhece que, lamentavelmente, os gastos com os projetos de defesa diminuíram, e acredita que nos últimos anos a Rússia tenha conseguido demonstrar um alto nível de capacidade de combate, algo a que o Reino Unido dificilmente consegue corresponder.

Além disso, a edição comunica, citando suas fontes, que os militares de alto escalão britânicos estão preocupados com o domínio russo nas áreas de artilharia, guerra radioeletrónica, bem como nas tecnologias informáticas.

Quanto aos EUA, o Pentágono qualificou, em sua nova estratégia, a concorrência com a Rússia e a China como as suas prioridades e exigiu alocar meios adicionais para o confronto estratégico com estes países. O Departamento de Defesa norte-americano acredita que Moscou e Pequim representam um perigo para segurança e prosperidade dos EUA.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas