Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Coalizão não enxerga 'motivos para discutir' ataque às bases militares russas na Síria

A coalizão internacional liderada pelos EUA na Síria e no Iraque não considera necessário discutir com militares russos os recentes ataques terroristas às bases da Rússia em Hmeymim e Tartus, segundo informou à Sputnik nesta terça-feira a assessoria de imprensa do grupo.


Sputnik

"Não temos motivos para discutir com os russos esse suposto incidente no âmbito do nosso canal de comunicação para prevenção de situações de conflito", revelou a assessoria de imprensa. 


Resultado de imagem para bases da Rússia em Hmeymim e Tartus,
Jornalistas em base militar russa na Síria © Photo: Facebook/ Ministry of Defence of the Russian Federation

A coalizão também informou não comentar "operações realizadas pelos russos ou pelas forças governamentais da Síria sem a participação da coalizão ou de seus parceiros".

Nesta segunda-feira, o ministério da Defesa da Rússia relatou que, na noite do dia 6 de janeiro, as bases militares russas de Hmeymim e de Tartus repeliram um ataque de drones.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas