Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Coalizão não enxerga 'motivos para discutir' ataque às bases militares russas na Síria

A coalizão internacional liderada pelos EUA na Síria e no Iraque não considera necessário discutir com militares russos os recentes ataques terroristas às bases da Rússia em Hmeymim e Tartus, segundo informou à Sputnik nesta terça-feira a assessoria de imprensa do grupo.


Sputnik

"Não temos motivos para discutir com os russos esse suposto incidente no âmbito do nosso canal de comunicação para prevenção de situações de conflito", revelou a assessoria de imprensa. 


Resultado de imagem para bases da Rússia em Hmeymim e Tartus,
Jornalistas em base militar russa na Síria © Photo: Facebook/ Ministry of Defence of the Russian Federation

A coalizão também informou não comentar "operações realizadas pelos russos ou pelas forças governamentais da Síria sem a participação da coalizão ou de seus parceiros".

Nesta segunda-feira, o ministério da Defesa da Rússia relatou que, na noite do dia 6 de janeiro, as bases militares russas de Hmeymim e de Tartus repeliram um ataque de drones.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas