Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

Contra 'ameaça russa', Dinamarca investirá R$6,7 bi em gastos militares adicionais

Parlamentares dinamarqueses concordaram neste domingo (28) em alocar um adicional de 12,8 bilhões de coroas (US$ R$6,7 bi) para gastos militares durante os próximos seis anos, citando a Rússia como uma das maiores ameaças à sua segurança.


Sputnik

"A ameaça da Rússia é real e está aumentando, precisamos mostrar determinação com a defesa", disse o primeiro-ministro Lars Lokke Rasmussen em comunicado citado pela agência de notícias Reuters.


Banderas de Dinamarca
Bandeiras da Dinamarca © flickr.com/ Bobby Hidy

O país vai estabelecer uma brigada militar formada por 4 mil homens e posicionada no Mar Báltico. Para 2018, o orçamento com gastos militares será de 22 bilhões de coroas (R$11,57 bi), valor que subirá gradativamente até 2023, quando o país espera gastar 20% acima dos níveis atuais.

O ministro das Relações Exteriores, Anders Samuelsen também divulgou comunicado em que cita as preocupações da Dinamarca com segurança.

"O cenário de ameaça internacional é muito sério. Uma Rússia mais assertiva perto das fronteiras da OTAN, o terrorismo, ameaças cibernéticas e fluxos irregulares de migrantes são coisas com as quais precisamos lidar".

A Rússia moveu em 2016, mísseis Iskander-M com capacidade nuclear para o enclave de Kaliningrado, no Mar Báltico. Um sistema de defesa de mísseis aéreos também foi instalado na região. À época, Moscou argumentou que o deslocamento foi motivado pela "necessidade de defender fronteiras russas diante da expansão militar por parte da OTAN", nas palavras do porta-voz da presidência da Rússia, Dmitry Peskov.


Postar um comentário