Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial americano joga culpa para Israel pelo ataque às forças sírias

No domingo (17), a mídia síria relatou ataque ao povoado sírio Al-Harra, província de Deir ez-Zor, na fronteira com o Iraque, supostamente realizado pela coalizão internacional, liderada pelos EUA, tendo como alvo forças governamentais. Porém, um oficial americano culpou Israel pelo ataque.
Sputnik

Anteriormente, uma fonte militar relatou à mídia síria que drones "provavelmente americanos" bombardearam Al-Harra, entre Abu Kamal e Al-Tanf.

Segundo dados das Forças de Mobilização Popular iraquianas, o ataque matou 22 soldados iraquianos. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, por sua vez, disse que o número total de vítimas corresponde a 52 pessoas, citado pelo Haaretz.

"Entre [os mortos] estão ao menos 30 militares iraquianos e 16 sírios, incluindo soldados e membros da milícia leal ao governo", afirmou à mídia o chefe do Observatório Sírio, Rami Abdel Rahman.

Comentando a notícia, o porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Adrian Rankine-Galloway, descartou que W…

Coreias retomam comunicações militares após reunião de terça-feira

Os exércitos das duas Coreias se comunicaram nesta quarta-feira pela primeira vez em quase dois anos através de uma linha reativada de Pyongyang a Seul na sua histórica reunião de alto nível ocorrida ontem.


EFE

Ambos exércitos realizaram hoje testes de troca de mensagens através da linha recentemente restaurada, confirmou à Agência Efe um porta-voz do Ministério da Defesa.


Soldados do Exército da Coreia do Sul durante desfile, em setembro de 2017. EFE/JEON HEON-KYUN
Soldados do Exército da Coreia do Sul durante desfile, em setembro de 2017. EFE/JEON HEON-KYUN

A linha está destinada a comunicações militares na região em torno do Mar Amarelo (chamado de Mar Ocidental nas duas Coreias) e Pyongyang tinha deixado de utiliza-la em fevereiro de 2016, como forma de protesto pelo fechamento do complexo intercoreano de Kaesong, feito por Seul como castigo pelo desenvolvimento armamentístico de Pyongyang.

No entanto, a Coreia do Norte informou ontem ao país vizinho, durante o encontro, que tinha reconectado esta via de comunicação.

Durante a reunião, Pyongyang também aceitou a proposta de Seul de realizar futuras conversações de categoria militar para atenuar os ânimos em torno da tensa fronteira entre os dois países, que tecnicamente estão em guerra há 65 anos.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas