Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Crianças alemãs prontas para guerrear: Berlim recruta número recorde de menores em 2017

Desde 2011, quando a Alemanha suspendeu recrutamento militar obrigatório, o número de soldados menores de idade triplicou. Segundo informou o jornal Rheinische Post, a Alemanha nunca tinha treinado tantos soldados menores de 18 anos como no ano passado.


Sputnik

Em 2017, mais de dois mil soldados menores de idade entraram no serviço, escreve o jornal, citando o Ministério da Defesa alemão.


Soldados da Bundeswehr, Forças Armadas da Alemanha (arquivo)
Soldados alemães © AP Photo/ Matthias Schrader

Segundo o artigo, o número de menores de idade no exército alemão tem crescido de modo sustentável, de 689 em 2011 para 1.907 em 2016 e agora o novo recorde de 2.128.

Além disso, entre os soldados menores de 18 anos é também muito alta a porcentagem de mulheres — este indicador aumentou quase 8 vezes desde 2011, totalizando 448 soldadas em 2017, informa o Rheinische Post.

A tendência indesejável é explicada por vários problemas dentro do exército da Alemanha: as Forças Armadas do país (Bundeswehr) têm poucos soldados, a maioria dos quais é de idade média, precisando substituí-los de modo urgente, informa a revista Der Spiegel.

Segundo a revista, o Ministério da Defesa do país gasta milhões de euros em campanhas de publicidade para atrair jovens, recrutando cada vez mais adolescentes nas redes sociais. Tais práticas causaram críticas por parte de políticos alemães.

Assim, o representante do Partido de Esquerda, Evrim Sommer, acredita que enquanto a Alemanha recrutar menores para objetivos militares não poderá criticar outros países por usarem menores em campo de batalha.

Ativista pelos direitos das crianças, Wolf-Christian Ramm, afirmou, por sua vez, que os números "não são surpreendentes, mas preocupantes", expressando-se completamente contra recrutamento e treinamento de jovens de 17 anos.

As autoridades alemãs suspenderam recrutamento militar obrigatório em julho de 2011. Ao invés do alistamento militar, a lei atual prevê serviço militar voluntário de até 23 meses para homens e mulheres.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas