Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan diz que Turquia continuará operação na Síria, pactuada com Moscou

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda-feira que seu país não interromperá sua operação militar lançada no sábado contra as milícias curdas aliadas dos Estados Unidos no norte da Síria e insistiu que esta operação está pactuada com a Rússia.
EFE

"Não vamos retroceder em Afrin. Falamos com os russos e há consenso", disse o político islamita em relação à região do norte da Síria nas mãos das milícias curdas Unidades de Proteção do Povo (YPG), que Ancara considera terroristas e aliadas da guerrilha curda da Turquia, o PKK.


Erdogan voltou a acusar os EUA de armar e apoiar as YPG, aliadas de Washington contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

"Não são honestos conosco. Continuaremos o nosso caminho no marco das conversações que mantemos com a Rússia", apontou.

"Queríamos comprar armas (com os EUA). Não nos deram e entregaram as mesmas armas a organizações terroristas. Que tipo de aliança estratégica é essa?", afirmou o presidente da T…

Deputados brasileiros se reúnem com o presidente do parlamento da Síria

Uma delegação de deputados federais brasileiros se reuniu nesta terça-feira com o presidente da Assembleia do Povo Sírio, Hammoudeh Sabbagh, em Damasco.


EFE

Durante o encontro, Sabbagh destacou, segundo a agência estatal de notícias "Sana", a importância de transmitir à opinião pública mundial a "realidade sobre os fatos na Síria" e a luta contra o terrorismo.


EFE/Youssef Badawi
EFE/Youssef Badawi

O presidente da Assembleia do Povo Sírio também afirmou que a prioridade é eliminar o terrorismo, ampliando o processo de reconciliação entre a população local e a reconstrução do país.

Sabbagh avaliou as posturas de países amigos que permaneceram ao lado da Síria e do povo do país na luta contra os terroristas.

A delegação brasileira é liderada pelo deputado federal Arlindo Chinaglia (PT/SP). Segundo a "Sana", Chinaglia reforçou na reunião com Sabag a necessidade do retorno da representação diplomática em nível de embaixadores entre os dois países.

A embaixada do Brasil em Damasco está parcialmente aberta desde o início do conflito em 2011. No entanto, o governo optou por transferir provisoriamente os diplomatas para Beirute e Amã em julho do ano seguinte, mantendo no edifício funcionários locais que tratam apenas de assuntos consulares.


Postar um comentário