Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

Erdogan tenciona 'matar à nascença' força fronteiriça criada pelos EUA na Síria

Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, se manifestou contra a ideia da criação de forças de segurança fronteiriça patrocinadas pelos Estados Unidos.


Sputnik

"Os americanos estão decididos a criar um exército de terroristas, mas nós estamos decididos a estrangulá-lo à nascença. Se os EUA querem estabelecer relações com essas criaturas selvagens, é negócio deles. Mas nós não permitiremos isso", declarou Erdogan durante um discurso em Ancara.


Soldados turcos durante exercícios, foto de arquivo
Militares turcos em treinamento © AP Photo/ Lefteris Pitarakis

Ele destacou que os militares turcos continuarão atirando contra as posições curdas em Afrin.

"Nossas forças armadas, espero, vão resolver em breve o problema de Afrin. A operação pode começar em qualquer momento", acrescentou líder turco.

Mais cedo se tornou público que a coalizão liderada pelos EUA está criando "forças de segurança fronteiriça" na Síria, que deverão integrar 30 mil efetivos, para proteger a zona sob controle da coalizão.

Segundo o representante oficial da coalizão, esta está trabalhando em conjunto com as Forças Democráticas da Síria para criar e treinar novas forças de segurança na fronteira do país árabe. Atualmente, cerca de 230 elementos estão sendo treinados com o objetivo final de criar uma força de cerca de 30 mil efetivos.

A chancelaria síria chamou estas ações de agressão aberta contra a soberania do país e sua integridade.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas