Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Temos armas hipersônicas': Rússia dará resposta à saída dos EUA do Tratado INF, diz Putin

A Rússia não deixará a decisão dos Estados Unidos de retirar-se unilateralmente do tratado de armas nucleares sem resposta, garantiu o presidente russo Vladimir Putin, acrescentando que o país não precisa se unir a outra corrida armamentista.
Sputnik

Moscou ainda está pronta para continuar dialogando com Washington sobre o tratado bilateral que proíbe os mísseis de médio alcance, que se tornou uma das pedras angulares do desarmamento nuclear, disse o líder russo em uma reunião do governo em Sochi. Ainda assim, os EUA devem "tratar esta questão com total responsabilidade", disse o presidente, acrescentando que a decisão de Washington de retirar-se do acordo "não pode e não ficará sem resposta".


Estas não são ameaças vazias, advertiu Putin. Ele disse que a Rússia já havia advertido os EUA contra a saída do tratado ABM que regulamenta os sistemas de mísseis e avisou Washington sobre possíveis retaliações. "Agora, temos armas hipersônicas capazes de penetrar qualquer…

Erdogan tenciona 'matar à nascença' força fronteiriça criada pelos EUA na Síria

Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, se manifestou contra a ideia da criação de forças de segurança fronteiriça patrocinadas pelos Estados Unidos.


Sputnik

"Os americanos estão decididos a criar um exército de terroristas, mas nós estamos decididos a estrangulá-lo à nascença. Se os EUA querem estabelecer relações com essas criaturas selvagens, é negócio deles. Mas nós não permitiremos isso", declarou Erdogan durante um discurso em Ancara.


Soldados turcos durante exercícios, foto de arquivo
Militares turcos em treinamento © AP Photo/ Lefteris Pitarakis

Ele destacou que os militares turcos continuarão atirando contra as posições curdas em Afrin.

"Nossas forças armadas, espero, vão resolver em breve o problema de Afrin. A operação pode começar em qualquer momento", acrescentou líder turco.

Mais cedo se tornou público que a coalizão liderada pelos EUA está criando "forças de segurança fronteiriça" na Síria, que deverão integrar 30 mil efetivos, para proteger a zona sob controle da coalizão.

Segundo o representante oficial da coalizão, esta está trabalhando em conjunto com as Forças Democráticas da Síria para criar e treinar novas forças de segurança na fronteira do país árabe. Atualmente, cerca de 230 elementos estão sendo treinados com o objetivo final de criar uma força de cerca de 30 mil efetivos.

A chancelaria síria chamou estas ações de agressão aberta contra a soberania do país e sua integridade.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas