Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan: exército sírio parou de avançar para Afrin

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou que as tropas do governo sírio deixaram de avançar para a cidade de Afrin "após consultas", realizadas pelo líder turco nesta segunda-feira.
Sputnik

As tropas do governo sírio "foram realmente detidas ontem (segunda-feira)", afirmou Erdogan, segundo a agência de notícias Anadolu. Segundo o chefe de Estado, isso aconteceu "após consultas". No entanto, Erdogan não especificou à que consultas estaria se referindo.


Nesta segunda-feira, o líder turco discutiu a situação em Afrin durante conversa telefônica com seus homólogos russo e iraniano, Vladimir Putin e Hassan Rouhani.

Erdogan também afirmou que as milícias pró-governo que tentaram entrar em Afrin nesta terça-feira, e que foram repelidas pelas tropas turcas, o fizeram por iniciativa própria.

"A milícia síria decidiu entrar em Afrin por conta própria. Isso é inaceitável e não ficará sem resposta", alertou Erdogan.

Anteriormente, a imprensa infor…

Erdogan: Turquia 'impedirá jogos' ao longo da fronteira com Síria

Turquia "impedirá jogos" ao longo da fronteira começando com a cidade síria de Manjib, declarou o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.


Sputnik

De acordo com o presidente, a Turquia não limitará sua operação militar por Afrin, mas "impedirá jogos" ao longo da sua fronteira, começando com a cidade síria de Manbij.


Soldados turcos perto da fronteira sírio-turca
Soldados turcos na fronteira com a Síria © AFP 2018/ OZAN KOSE

"Tenho dúvidas quanto à humanidade daqueles que apoiam essa organização [YPG] e chamam a Turquia de invasora", destacou Erdogan durante seu discurso em Ancara.

Além disso, o presidente turco apelou para as organizações internacionais não governamentais para prestarem apoio à operação turca Ramo de Oliveira efetuada contra as forças curdas na região síria de Afrin.

As operações turcas começaram em meio às crescentes tensões entre Ancara e Washington, que recentemente iniciou a formação de uma força de segurança na fronteira síria, a ser constituída inclusive por combatentes das Forças Democráticas da Síria, ligadas às Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG), que Ancara considera um grupo terrorista.

A Turquia expressou muitas vezes preocupações quanto ao apoio dos EUA aos militantes das YPG. Os Estados Unidos, por sua parte, prometem parar o fornecimento de armas aos curdos.


Postar um comentário