Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

EUA: não fornecemos armas nem treinamento aos curdos em Afrin

Os Estados Unidos não fornecem treinamento ou armas aos curdos localizados na área de Afrin, disse o diretor do Estado-Maior Conjunto do Pentágono, general Kenneth F. McKenzie Jr., aos repórteres nesta quinta-feira.


Sputnik

"Nós não treinamos nem fornecemos equipamentos para qualquer um dos curdos que estão na área de Afrin. Estamos focados nas operações no Vale do Eufrates, ao sul e ao leste", disse McKenzie.


Soldados dos EUA usando símbolos bordados das Unidades de Proteção Popular (YPG) curdas no norte da Síria
Militares dos EUA usando símbolos das Unidades de Proteção Popular (YPG) curdas na Síria © @FuriousKurd

Quando perguntado sobre as armas fornecidas aos curdos sírios, McKenzie disse: "Observamos cuidadosamente as armas que lhes são fornecidas".

"Nós garantimos que, na medida do possível, estas não caiam em mãos erradas, e continuamos as discussões com os turcos sobre essas questões", disse ele.

Washington oferece, há anos, apoio aos combatentes curdos na Síria, no âmbito do combate ao terrorismo na região.

Afrin é uma área controlada pelas milícias do Partido da União Democrática (PYD), as Unidades de Proteção Popular curdas (YPG), que Ancara considera afiliadas ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), designado como organização terrorista na Turquia e vários outros países.

No dia 20 de janeiro, a Turquia iniciou uma operação militar, "Ramo de Oliveira", com objetivo de expulsar as tropas curdas da cidade síria.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas