Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

'Guerra contra Rússia significaria fim da nação sueca'

O ex-embaixador da Suécia na Rússia Sven Hirdman apelou, em seu artigo publicado no jornal Vestmanlands Lans Tidning, ao aumento da confiança entre a comunidade russa e sueca.


Sputnik

O diplomata nota que na Suécia é muito comum pensar que a Rússia é um Estado agressivo que representa uma ameaça para os países vizinhos. Hirdman acha que este ponto de vista é errado. Ele aponta que as declarações sobre a "ameaça russa" são muito perigosas, porque elas alteram a atitude amigável da Rússia para com a Suécia.



Membros do exército sueco em Malmo, Suécia
Militares do exército da Suécia © AFP 2018/ JONATHAN NACKSTRAND

O antigo embaixador também expressou a opinião de que um conflito militar com participação russa terá consequências catastróficas para todos os envolvidos. Em particular, Hirdman sublinha que uma guerra contra a Rússia significaria o fim da nação sueca.

A este respeito, o diplomata convoca a aumentar o nível de confiança entre Moscou e Estocolmo. Ele também adverte as autoridades suecas contra o boicote da Rússia em relação às alegadas violações do direito internacional por causa da Crimeia e Ucrânia.

"Nós [a Suécia] temos que tomar todas as medidas necessárias para reduzir as tensões entre as grandes potências e não incentivar o seu aumento, indo na esteira dos EUA", resumiu o diplomata.

Sven Hirdman chefiou a missão diplomática sueca na Rússia no período entre 1994 e 2004.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas