Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

'Guerra contra Rússia significaria fim da nação sueca'

O ex-embaixador da Suécia na Rússia Sven Hirdman apelou, em seu artigo publicado no jornal Vestmanlands Lans Tidning, ao aumento da confiança entre a comunidade russa e sueca.


Sputnik

O diplomata nota que na Suécia é muito comum pensar que a Rússia é um Estado agressivo que representa uma ameaça para os países vizinhos. Hirdman acha que este ponto de vista é errado. Ele aponta que as declarações sobre a "ameaça russa" são muito perigosas, porque elas alteram a atitude amigável da Rússia para com a Suécia.



Membros do exército sueco em Malmo, Suécia
Militares do exército da Suécia © AFP 2018/ JONATHAN NACKSTRAND

O antigo embaixador também expressou a opinião de que um conflito militar com participação russa terá consequências catastróficas para todos os envolvidos. Em particular, Hirdman sublinha que uma guerra contra a Rússia significaria o fim da nação sueca.

A este respeito, o diplomata convoca a aumentar o nível de confiança entre Moscou e Estocolmo. Ele também adverte as autoridades suecas contra o boicote da Rússia em relação às alegadas violações do direito internacional por causa da Crimeia e Ucrânia.

"Nós [a Suécia] temos que tomar todas as medidas necessárias para reduzir as tensões entre as grandes potências e não incentivar o seu aumento, indo na esteira dos EUA", resumiu o diplomata.

Sven Hirdman chefiou a missão diplomática sueca na Rússia no período entre 1994 e 2004.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas