Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Houthis iemenitas derrubam avião da coalizão liderada pela Arábia Saudita

Um avião da coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita foi derrubado neste domingo (7) na região controlada pelos Houthis, na província de Saada, no norte do Iêmen.


Sputnik

A agência do movimento Houthi, Saba, informou que o caça foi derrubado pelas forças de defesa aérea rebelde, especificando que a aeronave era um caça britânico do tipo Tornado.


Ataque aérea na capital do Iêmen
Ataque aéreo na capital do Iêmen © REUTERS/ Khaled Abdullah

Ao mesmo tempo, o canal Al-Arabiya informou que a queda do avião foi provada por um acidente, acrescentando que os dois pilotos sobreviveram.

O conflito armado no Iêmen dura desde 2014. Nele se enfrentam por um lado os rebeldes houthis do movimento xiita de Ansar Allah e, por outro, as tropas governamentais e milícia leal ao presidente Abd Rabbuh Mansur Hadi. As autoridades recebem apoio do ar e por terra da coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita, e até há pouco, os houthis eram apoiados pelas forças militares leais ao ex-presidente Ali Abdullah Saleh.

Nos finais de novembro, entre os houthis e Saleh ocorreu um conflito que levou à morte de Saleh em 4 de dezembro.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas