Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia adverte exército sírio contra entrada em Manbij

O comunicado foi divulgado poucos dias depois de pelo menos quatro soldados americanos terem sido mortos em um atentado suicida na cidade de Manbij, no norte da Síria, cuja responsabilidade foi assumida pelo Daesh (grupo terrorista proibido em Rússia e em vários outros países).
Sputnik

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores turco, Hami Aksoy, alertou as Forças Armadas do governo sírio para que não tentassem entrar na cidade de Manbij, localizada no norte da Síria.


"Às Unidades de Proteção Popular curdas na Síria (YPG) não deveria ser permitido deixar que as forças do regime [do presidente sírio Bashar Assad] entrem em Manbij", disse Aksoy em uma entrevista coletiva na sexta-feira (18). Ele também destacou que "a retirada das tropas norte-americanas da Síria não deveria ajudar os terroristas das YPG e do Partido de União Democrática curdo (PYD)".

As declarações foram feitas depois que nesta quarta-feira (16) na cidade síria de Manbij ocorreu uma explosão em u…

Irã descreve reconhecimento de pesadelo de Jerusalém Capital israelen

O Irã descreveu como um pesadelo a decisão dos Estados Unidos de reconhecer Jerusalém ocupada como capital israelense.


Prensa Latina


Teerã - O diretor-geral para Assuntos Internacionais do parlamento iraniano, Husein Amir Abdolahian, se referiu nesses termos à controvérsia do presidente norte-americano Donald Trump.

Jerusalém | Reprodução

Essa decisão polêmica, anunciada em dezembro por Trump, provocou protestos em todo o mundo, além de receber condenações de aliados íntimos de Washington e organizações internacionais.

Tudo, acrescentou, denunciou a ocupação ilegal de territórios palestinos pelo regime de Tel Aviv.

Em reação a esse plano dos EUA, Abdolahian indicou que as autoridades palestinas boicotassem conversas de paz com os israelenses.

O governo Trump, disse ele, chama os palestinos, mesmo com ameaças, a retornar à mesa de diálogo, mas a decisão sobre Jerusalém ou Al Quds, o desqualifica para mediar o conflito.

Abdolahian confirmou em uma mensagem enviada por redes sociais que a República Islâmica do Irã nunca 'permitirá que o regime de usurpação de Israel brinque com sua segurança e o da região do Oriente Médio'.

Na opinião de Abdolahian, o regime de Tel Aviv está experimentando um momento de grande fraqueza, apesar dos serviços prestados pelo grupo terrorista do Estado islâmico para causar caos nos países árabes e islâmicos.

No entanto, ele disse, nem a monarquia da Arábia Saudita nem os Estados Unidos salvará a entidade sionista.

Israel é um regime usurpador que agora, por medo da Resistência, construirá muros em territórios que não são deles, embora a longo prazo a causa do povo palestino vá em frente, disse ele.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas