Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Irã pretende criar coalizão com Rússia contra EUA

O assistente do líder supremo do Irã aiatolá Ali Khamenei, general-major Yahya Rahim Safavi, propôs criação de uma coalizão envolvendo a Rússia para resistir às ações dos EUA, informou a agência de notícias iraniana Fars.


Sputnik

"O Irã, ao criar uma aliança regional, que além da Rússia e Síria incluirá o Paquistão e Iraque, poderá resistir à coalizão norte-americana", afirmou Safavi, citado pela mídia.


Torre Milad em Teerã
Torre Milad em Teerã, Irã © Sputnik/ Vladimir Fedorenko

De acordo com o assistente, a estratégia dos EUA para este ano é "preservar conflitos na região", bem como expandir lucros para Washington nas esferas política, econômica e militar.

Segundo Safavi, os EUA com uma "formação de 30 mil efetivos" tencionam colaborar na criação de uma região autônoma curda. Suas ações, para o general, violam integridade territorial do país.

Anteriormente, a mídia comunicou que a coalizão liderada pelos EUA teria começado a criar na Síria Força de Segurança da Fronteira (BSF), juntamente com as Forças Democráticas da Síria (FDS). As FDS foram criadas em 2015, com o apoio ativo dos EUA alegadamente para combater o Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países). A formação, composta principalmente por curdos sírios, recebia armas da coalizão encabeçada pelos EUA.


Comentários

Postagens mais visitadas