Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Irã rechaça acusação de ter bases militares na Síria

O conselheiro do presidente do parlamento iraniano, Husein Amir Abdolahian, negou as acusações de que Teerã supostamente teria bases militares na Síria.


Sputnik

'Não temos nenhuma base militar na Síria", disse o parlamentar.


Destacamento iraniano na Síria
Destacamento iraniano na Síria © Sputnik/ Mikhail Voskresenky

Abdolahian enfatizou que Teerã está ajudando a Síria enviando conselheiros militares que permanecerão no país árabe, "enquanto o governo sírio exige que eles mantenham sua presença".

Ele assegurou que os conselheiros militares serão retirados assim que a situação no país se estabilizar.

Ao mesmo tempo, o deputado indicou que Damasco não vê necessidade de enviar um contingente militar para a Síria.

Anteriormente, Israel expressou a preocupação de que o Irã pudesse manter sua presença militar na Síria após o fim da luta contra Daesh (Estado Islâmico), dizendo que Teerã poderia usar o território sírio para perpetrar ataques contra Israel.

No final de novembro, o ministro da Defesa israelense, Avigdor Lieberman, disse que o Irã não tem presença militar na Síria, exceto "alguns conselheiros e especialistas" e que Israel vai fazer um esforço para que o Irã "não se torne uma força real no território".


Comentários

Postagens mais visitadas