Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial americano joga culpa para Israel pelo ataque às forças sírias

No domingo (17), a mídia síria relatou ataque ao povoado sírio Al-Harra, província de Deir ez-Zor, na fronteira com o Iraque, supostamente realizado pela coalizão internacional, liderada pelos EUA, tendo como alvo forças governamentais. Porém, um oficial americano culpou Israel pelo ataque.
Sputnik

Anteriormente, uma fonte militar relatou à mídia síria que drones "provavelmente americanos" bombardearam Al-Harra, entre Abu Kamal e Al-Tanf.

Segundo dados das Forças de Mobilização Popular iraquianas, o ataque matou 22 soldados iraquianos. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, por sua vez, disse que o número total de vítimas corresponde a 52 pessoas, citado pelo Haaretz.

"Entre [os mortos] estão ao menos 30 militares iraquianos e 16 sírios, incluindo soldados e membros da milícia leal ao governo", afirmou à mídia o chefe do Observatório Sírio, Rami Abdel Rahman.

Comentando a notícia, o porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Adrian Rankine-Galloway, descartou que W…

Irã rechaça acusação de ter bases militares na Síria

O conselheiro do presidente do parlamento iraniano, Husein Amir Abdolahian, negou as acusações de que Teerã supostamente teria bases militares na Síria.


Sputnik

'Não temos nenhuma base militar na Síria", disse o parlamentar.


Destacamento iraniano na Síria
Destacamento iraniano na Síria © Sputnik/ Mikhail Voskresenky

Abdolahian enfatizou que Teerã está ajudando a Síria enviando conselheiros militares que permanecerão no país árabe, "enquanto o governo sírio exige que eles mantenham sua presença".

Ele assegurou que os conselheiros militares serão retirados assim que a situação no país se estabilizar.

Ao mesmo tempo, o deputado indicou que Damasco não vê necessidade de enviar um contingente militar para a Síria.

Anteriormente, Israel expressou a preocupação de que o Irã pudesse manter sua presença militar na Síria após o fim da luta contra Daesh (Estado Islâmico), dizendo que Teerã poderia usar o território sírio para perpetrar ataques contra Israel.

No final de novembro, o ministro da Defesa israelense, Avigdor Lieberman, disse que o Irã não tem presença militar na Síria, exceto "alguns conselheiros e especialistas" e que Israel vai fazer um esforço para que o Irã "não se torne uma força real no território".


Postar um comentário

Postagens mais visitadas