Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Marinha da Rússia finalmente resolve problema de motores ucranianos

A Corporação Unida de Construção de Motores russa (ODK, na sua sigla em russo) completou os testes em três modelos de motores com turbina a gás, destinados a substituir os equipamentos de fabricação ucraniana usados em navios de guerra russos.


Sputnik

"A dependência definitivamente terminou", assegurou o vice-ministro da Defesa russo, Yuri Borisov.


Fragata Admiral Grigorovich da Frota do Mar Negro (arquivo)
Fragata russa Admiral Grigorovich, da Frota do Mar Negro © Sputnik/ Sergei Malgavko

"Estamos acompanhando de perto o progresso de criação dos motores russos com turbinas a gás, especialmente para as fragatas. Foi finalizado o trabalho que se iniciou em 2014: os motores passaram por testes oficiais e obtiveram os certificados", explicou Borisov em uma coletiva.

No contexto dos estreitos laços econômicos e tecnológicos estabelecidos entre as duas nações nos tempos da URSS, a Ucrânia se especializou na fabricação de motores para a Marinha soviética e, mais tarde, para a da Rússia.

Após a mudança de poder em Kiev e a reintegração da Crimeia na Rússia, as relações bilaterais pioraram drasticamente, culminando com o congelamento quase total de qualquer cooperação na esfera militar, muito importante para as relações bilaterais nos anos anteriores.

O fato de Kiev ter recusado fornecer os motores para as novas fragatas russas do projeto 11356 provocou um atraso significativo em sua construção e levou a Rússia a avançar com o projeto de substituição. Hoje, de acordo com o vice-ministro russo, esta tarefa sendo implementada.

"A empresa ODK-Saturn criou os motores e lançou em seu projeto um grande potencial para modernização. […] Em minha opinião, a questão das empresas que produzem motores com turbinas a gás para a Marinha russa está definitivamente fechada", afirmou Borisov.

O diretor executivo da empresa, Viktor Polyakov, por sua vez, confirmou aos jornalistas que a ODK-Saturn está completamente pronta para produzir os motores em série. 


Na verdade, "as primeiras unidades da primeira série já estão em produção", e o principal objetivo agora é "garantir uma lista de pedidos a longo prazo", acrescentou.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas