Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan diz que Turquia continuará operação na Síria, pactuada com Moscou

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda-feira que seu país não interromperá sua operação militar lançada no sábado contra as milícias curdas aliadas dos Estados Unidos no norte da Síria e insistiu que esta operação está pactuada com a Rússia.
EFE

"Não vamos retroceder em Afrin. Falamos com os russos e há consenso", disse o político islamita em relação à região do norte da Síria nas mãos das milícias curdas Unidades de Proteção do Povo (YPG), que Ancara considera terroristas e aliadas da guerrilha curda da Turquia, o PKK.


Erdogan voltou a acusar os EUA de armar e apoiar as YPG, aliadas de Washington contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

"Não são honestos conosco. Continuaremos o nosso caminho no marco das conversações que mantemos com a Rússia", apontou.

"Queríamos comprar armas (com os EUA). Não nos deram e entregaram as mesmas armas a organizações terroristas. Que tipo de aliança estratégica é essa?", afirmou o presidente da T…

Ministério da Defesa da Rússia comenta aproximação de Su-30 russos com F-15 da OTAN

As tripulações dos caças russos Su-30SM realizaram em 23 de novembro e 13 de dezembro voos de instrução planejados sobre águas neutras do Báltico sem violar fronteiras de terceiros países, informou o departamento de informação e comunicações do Ministério de Defesa da Rússia.


Sputnik

"O roteiro dos voos dos caças russos foi acordado com os órgãos de gestão de movimento aéreo e foi realizado em estrita conformidade com as regras internacionais de uso do espaço aéreo sem violar as fronteiras de outros países", destacou a entidade.


Caça Su-30SM da Força Aérea russa
Sukhoi Su-30SM © Sputnik/ Georgiy Zimarev

Destaca-se que "no quadro de realização dos voos, os aviões F-15 da OTAN aproximaram-se a uma distância segura aos caças russos e depois disso mudaram seu trajeto e se afastaram".

Anteriormente, o Pentágono publicou um vídeo da escolta de dois caças russos no Báltico. De acordo com a entidade militar estadunidense, a intercepção foi realizada porque os jatos russos "não transmitiram os códigos exigidos pelos controladores aéreos".

Para a escolta dos aviões foram levantados aviões da 493ª esquadrilha de caças do 48º grupo aéreo da Força Aérea dos EUA baseada na base aérea de Lakenheath no Reino Unido.

Os caças norte-americanos participam no quadro da OTAN de operações de controle do espaço aéreo da região do Báltico.


Postar um comentário