Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército sírio bombardeia terroristas restantes no sul do país (VIDEO)

O exército sírio retomou os ataques de artilharia maciços contra os terroristas restantes na região de Tulul al Safa no deserto de As-Suwayda, no sul do país, depois de eles terem violado a trégua, segundo uma fonte do Exército.
Sputnik

De acordo com uma fonte que falou com a Sputnik Árabe, na terça-feira (16), o Exército sírio e os terroristas que ocupam as colinas de Tulul al Safa firmaram um acordo de cessar-fogo, segundo o qual os combatentes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se comprometeram a entregar as armas depois de serem cercados e sem saída.


Contudo, na manhã da quarta-feira (17) os terroristas atacaram as unidades do Exército sírio. Por sua vez, os soldados repeliram o ataque com êxito e contra-atacaram. Como resultado, dezenas de militantes foram mortos ou feridos. O Exército resolveu retomar os ataques maciços com peças de artilharia apoiadas do ar, tendo como objetivo eliminar as forças terroristas restantes até a épo…

Ministério da Defesa da Rússia comenta aproximação de Su-30 russos com F-15 da OTAN

As tripulações dos caças russos Su-30SM realizaram em 23 de novembro e 13 de dezembro voos de instrução planejados sobre águas neutras do Báltico sem violar fronteiras de terceiros países, informou o departamento de informação e comunicações do Ministério de Defesa da Rússia.


Sputnik

"O roteiro dos voos dos caças russos foi acordado com os órgãos de gestão de movimento aéreo e foi realizado em estrita conformidade com as regras internacionais de uso do espaço aéreo sem violar as fronteiras de outros países", destacou a entidade.


Caça Su-30SM da Força Aérea russa
Sukhoi Su-30SM © Sputnik/ Georgiy Zimarev

Destaca-se que "no quadro de realização dos voos, os aviões F-15 da OTAN aproximaram-se a uma distância segura aos caças russos e depois disso mudaram seu trajeto e se afastaram".

Anteriormente, o Pentágono publicou um vídeo da escolta de dois caças russos no Báltico. De acordo com a entidade militar estadunidense, a intercepção foi realizada porque os jatos russos "não transmitiram os códigos exigidos pelos controladores aéreos".

Para a escolta dos aviões foram levantados aviões da 493ª esquadrilha de caças do 48º grupo aéreo da Força Aérea dos EUA baseada na base aérea de Lakenheath no Reino Unido.

Os caças norte-americanos participam no quadro da OTAN de operações de controle do espaço aéreo da região do Báltico.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas