Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

Ministério da Defesa da Rússia comenta aproximação de Su-30 russos com F-15 da OTAN

As tripulações dos caças russos Su-30SM realizaram em 23 de novembro e 13 de dezembro voos de instrução planejados sobre águas neutras do Báltico sem violar fronteiras de terceiros países, informou o departamento de informação e comunicações do Ministério de Defesa da Rússia.


Sputnik

"O roteiro dos voos dos caças russos foi acordado com os órgãos de gestão de movimento aéreo e foi realizado em estrita conformidade com as regras internacionais de uso do espaço aéreo sem violar as fronteiras de outros países", destacou a entidade.


Caça Su-30SM da Força Aérea russa
Sukhoi Su-30SM © Sputnik/ Georgiy Zimarev

Destaca-se que "no quadro de realização dos voos, os aviões F-15 da OTAN aproximaram-se a uma distância segura aos caças russos e depois disso mudaram seu trajeto e se afastaram".

Anteriormente, o Pentágono publicou um vídeo da escolta de dois caças russos no Báltico. De acordo com a entidade militar estadunidense, a intercepção foi realizada porque os jatos russos "não transmitiram os códigos exigidos pelos controladores aéreos".

Para a escolta dos aviões foram levantados aviões da 493ª esquadrilha de caças do 48º grupo aéreo da Força Aérea dos EUA baseada na base aérea de Lakenheath no Reino Unido.

Os caças norte-americanos participam no quadro da OTAN de operações de controle do espaço aéreo da região do Báltico.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas