Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan diz que Turquia continuará operação na Síria, pactuada com Moscou

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda-feira que seu país não interromperá sua operação militar lançada no sábado contra as milícias curdas aliadas dos Estados Unidos no norte da Síria e insistiu que esta operação está pactuada com a Rússia.
EFE

"Não vamos retroceder em Afrin. Falamos com os russos e há consenso", disse o político islamita em relação à região do norte da Síria nas mãos das milícias curdas Unidades de Proteção do Povo (YPG), que Ancara considera terroristas e aliadas da guerrilha curda da Turquia, o PKK.


Erdogan voltou a acusar os EUA de armar e apoiar as YPG, aliadas de Washington contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

"Não são honestos conosco. Continuaremos o nosso caminho no marco das conversações que mantemos com a Rússia", apontou.

"Queríamos comprar armas (com os EUA). Não nos deram e entregaram as mesmas armas a organizações terroristas. Que tipo de aliança estratégica é essa?", afirmou o presidente da T…

Ministério da Defesa russo divulga FOTO de drones que atacaram suas bases na Síria

O Ministério da Defesa da Rússia publicou uma nova fotografia dos drones usados por terroristas, que tentaram atacar as bases militares russas em Hmeymim e Tartus.


Sputnik

A imagem mostra três drones não danificados de produção manual que foram construídos com placas de madeira compensada.


Drones que atacaram bases russas na Síria
Drones que atacaram bases militares russas na Síria | CC BY 4.0 / Ministério da Defesa da Rússia

Além disso, é possível observar fragmentos de mais três veículos aéreos.

Na noite de 6 de janeiro, as bases militares de Hmeymim e de Tartus, na Síria, ambas sob administração russa, repeliram um ataque massivo de drones contra suas instalações.

Para realizar um ataque, os jihadistas utilizaram 13 veículos aéreos não tripulados (VANT): dez foram enviados a Hmeymim, enquanto três outros — a Tartus.

Sete deles foram eliminados pelos sistemas de defesa aérea Pantsir-S. Além disso, os militares russos conseguiram retomar o controle de seis outros drones.

No entanto, segundo afirma o Ministério da Defesa russo, só os países tecnologicamente desenvolvidos possuem meios que foram usados no decurso do ataque.

Em resposta, o Pentágono declarou que veículos parecidos estão em "acesso livre" no mercado internacional.

Apesar dos recentes eventos, o Kremlin afirmou que as bases russas na Síria dispõem de todas as capacidades necessárias para combater "ataques terroristas" semelhantes, que continuarão.


Postar um comentário