Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Ministro britânico adverte que Moscou planeja 'matar milhares de pessoas' no país

O secretário de Defesa do Reino Unido, Gavin Williamson, declarou que um ataque da Rússia contra instalações de infraestrutura britânicas causaria "milhares e milhares de vítimas", citado pela revista The Telegraph.


Sputnik

Segundo o ministro, Moscou está estudando possíveis pontos fracos na proteção das instalações de infraestrutura e energia do Reino Unido, incluindo gasodutos de energia procedentes da Europa continental, para causar "pânico e caos".


Resultado de imagem para secretário de Defesa do Reino Unido, Gavin Williamson,
Secretário de Defesa do Reino Unido, Gavin Williamson | Reprodução

Kremlin pretende tomar medidas "que qualquer outro país consideraria como completamente inaceitáveis", disse Williamson.

A revista sublinha que a afirmação do ministro coincide com o início do processo de aprovação da política de defesa britânica. Durante esses cinco meses, o Ministério da Defesa do Reino Unido tentará receber mais financiamentos para evitar cortes no exército britânico.

Londres está estudando a possível redução do exército de 82 para 70 mil pessoas e o desmanche de dois navios de desembarque restantes da Marinha, pois, segundo o deputado do país, um de cada cinco soldados britânicos não é capaz de combater.

Em 15 de novembro, o ex-chefe do Comando Unido das Forças Armadas britânicas, general Richard Barrons, relatou sobre o estado lamentável do equipamento técnico do país, afirmando que este é "obsoleto há 20 anos".


Comentários

Postagens mais visitadas