Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Brasil comemora 20 anos do fim do conflito entre Peru e Equador

O Brasil irá comemorar nesta terça-feira os 20 anos do fim dos conflitos na fronteira entre Peru e Equador, que se prolongaram por quase 170 anos e que causaram várias guerras, tensões e enfrentamentos entre ambos os países.
EFE

Brasília - O Acordo Global e Definitivo de Paz entre Equador e Peru foi assinado em 26 de outubro de 1998 em Brasília, que voltará a ser palco de um encontro entre representantes dessas duas nações, mas agora para reafirmar "o valor e a eficácia da diplomacia e da solução pacífica de controvérsias", diz o comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

A cerimônia contará com a participação do equatoriano José Ayala Lasso e do peruano Fernando de Trazegnies Granda, que eram os chanceleres de seus países na ocasião da assinatura e tiveram participação ativa nas negociações, e será presidido pelo ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes.

Segundo a nota oficial, a comemoração "também evidencia, uma vez mais, a capacidade regional de responder e…

Ministro britânico adverte que Moscou planeja 'matar milhares de pessoas' no país

O secretário de Defesa do Reino Unido, Gavin Williamson, declarou que um ataque da Rússia contra instalações de infraestrutura britânicas causaria "milhares e milhares de vítimas", citado pela revista The Telegraph.


Sputnik

Segundo o ministro, Moscou está estudando possíveis pontos fracos na proteção das instalações de infraestrutura e energia do Reino Unido, incluindo gasodutos de energia procedentes da Europa continental, para causar "pânico e caos".


Resultado de imagem para secretário de Defesa do Reino Unido, Gavin Williamson,
Secretário de Defesa do Reino Unido, Gavin Williamson | Reprodução

Kremlin pretende tomar medidas "que qualquer outro país consideraria como completamente inaceitáveis", disse Williamson.

A revista sublinha que a afirmação do ministro coincide com o início do processo de aprovação da política de defesa britânica. Durante esses cinco meses, o Ministério da Defesa do Reino Unido tentará receber mais financiamentos para evitar cortes no exército britânico.

Londres está estudando a possível redução do exército de 82 para 70 mil pessoas e o desmanche de dois navios de desembarque restantes da Marinha, pois, segundo o deputado do país, um de cada cinco soldados britânicos não é capaz de combater.

Em 15 de novembro, o ex-chefe do Comando Unido das Forças Armadas britânicas, general Richard Barrons, relatou sobre o estado lamentável do equipamento técnico do país, afirmando que este é "obsoleto há 20 anos".


Postar um comentário

Postagens mais visitadas